iStock_000033002428_Small.jpg

Photographer: Andrey Popov

“Não andes descalça no chão da cozinha, que te constipas!”
Quem nunca ouviu esta frase gritada em pânico? Dizem-nos que era uma porta escancarada para constipação e quem sabe para algo pior. A grande variação térmica era sempre apontada como a principal causa. “Trata-se de um mito”, esclarece-nos Pedro Lopes, médico de clínica geral da Clínica Milenium. “As constipações e as gripes são situações provocadas por vírus, pelo que andar descalço no chão da cozinha ou noutra superfície fria, além da sensação desagradável de frio, em nada contribui para adquirir uma infeção viral. A disseminação dos vírus responsáveis por estas doenças é feita por via aérea através do espirro ou da tosse, ou através do contacto com as mãos sujas ou com objetos ou superfícies contaminadas.” Portanto, perigoso mesmo é não lavar as mãos com frequência e estar em locais públicos fechados com muita gente, especialmente durante surtos de gripe. Quem precisa de viajar de transportes públicos todos os dias ou passar horas na sala de espera de um centro de saúde está muito mais exposto do que a temerária que queira desafiar o perigo de pés nus na pedra fria da cozinha.

Mas atenção: se estiver com o período o caso já muda de figura, avisa o médico. “Também se diz que andar descalça numa superfície fria durante a menstruação agrava as cólicas menstruais. Isto poderá ter alguma base de verdade uma vez que o frio provoca uma contração dos vasos sanguíneos (vasoconstrição) e isso, por afectar também os vasos sanguíneos pélvicos, pode agravar as dores menstruais. Se andar descalça numa superfície que não esteja fria não há qualquer problema.”

 

“Sai da corrente de ar!”
As correntes de ar têm sido culpadas de muitos males, de gripes a dores musculares incapacitantes e até a doenças respiratórias graves. O que será que há assim de tão perigoso nelas para a nossa saúde? “A questão da relação das correntes de ar com as gripes e constipações é uma vez mais um mito, uma vez que este tipo de infeções são de origem viral.”

Outra das crenças comuns é a famosa “ponta de ar” ou “pontada de ar”, que geralmente se traduz em dores musculares intensas e quase impeditivas. Há algum fundo de verdade científica nisto? Contudo, no que diz respeito às dores musculares que resultam da exposição a uma corrente de ar podemos encontrar uma explicação científica. Quando estamos expostos ao ar frio, por exemplo exemplo uma corrente de ar, o nosso organismo tende a utilizar os mecanismos de que dispõe para conservar a temperatura corporal, nomeadamente a contração muscular profunda, que é involuntária, isto é, não depende da nossa vontade ou controlo, e que é uma forma de o corpo produzir calor. Assim, ao fim de algum tempo de exposição ao frio e com a fadiga dos músculos podem surgir dores musculares, que podem ser intensas e mesmo incapacitantes. 

“Não saias para a rua de cabelo molhado”
Para além do medo de que pudesse despoletar vírus respiratórios, começou também a espalhar-se a crença de que ir para a rua com o cabelo molhado podia potenciar o risco de paralisia facial.A paralisia facial consiste numa paralisia total ou parcial dos músculos da face, que pode ser classificada de duas formas: paralisia facial central ou paralisia facial periférica. A paralisia facial central acontece quando existem lesões no encéfalo, no sistema nervoso central, pois é este que envia todas as informações para o nervo facial. Quando existem lesões as informações não serão transmitidas ou poderão chegar com deficiências. Na paralisia facial periférica as lesões estão localizadas no nervo facial, o que faz com que exista uma irritação dos músculos da face”, explica Pedro Lopes. “Neste tipo de paralisia os doentes vão apresentar uma assimetria da face: o lado paralisado a boca sobe ligeiramente, os olhos poderão não piscar naturalmente, entre outros sintomas que assustam um pouco doentes e familiares devido à semelhança de sintomas com um acidente vascular cerebral.” 

As causas não se conhecem na totalidade e nada é certo, lembra ainda o médico. “O nervo poderá ser afetado por infeções, traumas, distúrbios de glicémia, traumatismos cranianos, tumores situados próximo do nervo facial, otites, hipertensão arterial, entre outros. Grande parte dos casos conhecidos deve-se à reativação do vírus herpes tipo 1, que poderá ficar armazenado durante anos no organismo sem ter nenhum tipo de reacção. Contudo, se ficar latente nos nervos faciais, poderá causar uma inflamação que desencadeará este tipo de paralisia. Esta teoria não está totalmente comprovada mas é considerada uma das causas mais prováveis. Quando a causa da inflamação do nervo é viral, dá-se o nome de Paralisia de Bell. Mas não há qualquer fundamento científico que explique a relação entre andar de cabelo molhado com a ocorrência desta situação. Contudo a exposição prolongada a condições de frio extremo pode provocar sintomas de paralisia facial periférica.”

 

“Não tomes duche a seguir às refeições”
Sempre ouvimos isto na praia, nas tardes de verão em que, a seguir ao farnel, a mãe nos proibia de ir à água… ou arriscávamo-nos a ficar lá, fulminados por uma indigestão. Mas o mesmo conselho era dado relativamente aos duches caseiros, onde, normalmente, a temperatura da água até está próxima dos 37ºC do nosso corpo. E até há quem defenda que, se for tomado na meia hora a seguir a acabarmos de comer, não há mal que nos toque. “O banho a seguir às refeições é uma questão que deixa sempre muitas dúvidas até porque todos nós fomos educados para não o fazer”, lembra Pedro Lopes. “Após uma refeição, o organismo aumenta o aporte de sangue ao tubo digestivo para que o processo de digestão ocorra. Uma vez que o volume de sangue é constante, para fazer isto o organismo tem de o desviar de outras localizações, nomeadamente das extremidades do corpo. Quando estamos expostos a temperaturas baixas, como acontece num banho de mar, o organismo necessita desse mesmo sangue para manter a temperatura corporal. Para já não falar do sangue que é necessário transportar para os músculos, que nos permitem nadar, e mesmo dos músculos involuntários que se contraem para manter a temperatura do corpo. Acresce a isto o facto de o frio provocar uma contração (constrição) dos vasos sanguíneos, com consequente diminuição do fornecimento de sangue ao tubo digestivo, durante o processo de digestão em que ele é necessário. É por esta razão que o banho com água fria após uma refeição é desaconselhado. Contudo, um banho com água tépida ou quente e em ambiente com temperatura controlada, como acontece em nossas casas, não tem qualquer tipo de inconveniente.”

 

“Não bebas bebidas geladas”
Nos tratados de conselhos preventivos das avós, elas são sempre responsáveis pelas dores de garganta, até no verão, e por pararem a digestão. Estarão certas? “As bebidas geladas quando ingeridas muito rapidamente podem de facto trazer alguns problemas”, confirma Pedro Lopes. “Quando ingerimos uma bebida gelada ela vai provocar uma diminuição abrupta da temperatura com consequente despoletar dos mecanismos corporais para compensar esta variação térmica. Durante a digestão, a ingestão de bebidas frias vais provocar uma contração dos vasos sanguíneos, com diminuição do aporte (fornecimento) de sangue ao estômago, o que pode comprometer o processo digestivo.” Quanto às dores de garganta, na maior parte dos casos, é mesmo um mito. “Dores de garganta, só se o frio provocar irritação. Mas normalmente o frio é analgésico e até anti-inflamatório por isso é um mito. Quanto aos estados, gripais é falso. A gripe é uma doença viral, pelo que o frio não tem qualquer efeito.”

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1625

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1625

Ensaio ao Renault Scenic E-Tech, o elétrico com autonomia superior a 600 km

Ensaio ao Renault Scenic E-Tech, o elétrico com autonomia superior a 600 km

JL 1396

JL 1396

Caras conhecidas atentas a tendências

Caras conhecidas atentas a tendências

Decoração: a liberdade também passa por aqui

Decoração: a liberdade também passa por aqui

Chief Innovation Officer? E por que não Chief Future Officer?

Chief Innovation Officer? E por que não Chief Future Officer?

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Os livros da VISÃO Júnior: Para comemorar a liberdade (sem censuras!)

Os livros da VISÃO Júnior: Para comemorar a liberdade (sem censuras!)

Sonos lança uma aplicação “totalmente renovada”

Sonos lança uma aplicação “totalmente renovada”

Lisboa através dos tempos na VISÃO História

Lisboa através dos tempos na VISÃO História

Relógio Slow Retail: Moda portuguesa e cheirinho a café, para descobrir em Cascais

Relógio Slow Retail: Moda portuguesa e cheirinho a café, para descobrir em Cascais

Sebastião Bugalho, o jovem atrevido que recusou ser deputado do CDS

Sebastião Bugalho, o jovem atrevido que recusou ser deputado do CDS

Em “Cacau”: Tiago descobre onde está Cacau e agride Marco

Em “Cacau”: Tiago descobre onde está Cacau e agride Marco

Ordem dos Médicos vai entregar a ministra

Ordem dos Médicos vai entregar a ministra "seis prioridades para próximos 60 dias"

Nos caminhos de Moura guiados pela água fresca

Nos caminhos de Moura guiados pela água fresca

Semana em destaque: Musk volta a gritar

Semana em destaque: Musk volta a gritar "Carro autónomo", mas poucos acreditam

Montenegro diz que

Montenegro diz que "foi claríssimo" sobre descida do IRS

Receita de Crepes com curd de limão, por Mafalda Agante

Receita de Crepes com curd de limão, por Mafalda Agante

Conta-me como foi o 25 de abril

Conta-me como foi o 25 de abril

Baixa procura leva Apple a reduzir produção dos Vision Pro

Baixa procura leva Apple a reduzir produção dos Vision Pro

Mello, Espírito Santo e Champalimaud. O Estado Novo e as grandes fortunas

Mello, Espírito Santo e Champalimaud. O Estado Novo e as grandes fortunas

25 de Abril, 50 anos

25 de Abril, 50 anos

MAI apela à limpeza dos terrenos rurais

MAI apela à limpeza dos terrenos rurais

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Casas sim, barracas não. Quando o pai de Marcelo Rebelo de Sousa ajudou os ocupantes do Bairro do Bom Sucesso

Casas sim, barracas não. Quando o pai de Marcelo Rebelo de Sousa ajudou os ocupantes do Bairro do Bom Sucesso

Famosos brilham na reabertura de loja de luxo em Cascais

Famosos brilham na reabertura de loja de luxo em Cascais

Caras Decoração: escolhas conscientes para uma casa mais sustentável

Caras Decoração: escolhas conscientes para uma casa mais sustentável

Exame Informática TV nº 859: Veja dois portáteis 'loucos' e dois carros elétricos em ação

Exame Informática TV nº 859: Veja dois portáteis 'loucos' e dois carros elétricos em ação

Tesla introduz novo Model 3 Performance

Tesla introduz novo Model 3 Performance

Rita Patrocínio revela

Rita Patrocínio revela "onde gostava de um dia viver"

A gestão aos gestores

A gestão aos gestores

Ao volante do novo Volvo EX30 numa pista de gelo

Ao volante do novo Volvo EX30 numa pista de gelo

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Passatempo: ganha convites para 'A Grande Viagem 2: Entrega Especial'

Passatempo: ganha convites para 'A Grande Viagem 2: Entrega Especial'

Conheça as vencedoras dos Prémios Activa Mulheres Inspiradoras

Conheça as vencedoras dos Prémios Activa Mulheres Inspiradoras

Carla Andrino e o marido brilham no casamento de Dânia Neto

Carla Andrino e o marido brilham no casamento de Dânia Neto

Fotógrafa Annie Leibovitz membro da   Academia Francesa das Belas Artes

Fotógrafa Annie Leibovitz membro da   Academia Francesa das Belas Artes

Em “Senhora do Mar”: Joana perdoa Manuel por a ter traído

Em “Senhora do Mar”: Joana perdoa Manuel por a ter traído

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

Tempo de espera para rede de cuidados continuados aumentou em 2022

Tempo de espera para rede de cuidados continuados aumentou em 2022

João Abel Manta, artista em revolução

João Abel Manta, artista em revolução

O que os preços do petróleo dizem sobre o conflito no Médio Oriente?

O que os preços do petróleo dizem sobre o conflito no Médio Oriente?

Nasceu a filha de Sofia Arruda

Nasceu a filha de Sofia Arruda

Supremo rejeita recurso da Ordem dos Enfermeiros para tentar levar juíza a julgamento

Supremo rejeita recurso da Ordem dos Enfermeiros para tentar levar juíza a julgamento

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites