Você tem 'animigas'?
Você tem ‘animigas’?
Foto Pexels/Gianne Karla Tolentino

A Revoltada
Corre-lhe tudo mal: o chefe não vai com a cara dela, os filhos nunca fazem o que ela manda, o marido se fosse esperto já tinha arranjado emprego, mas não, é um banana que nem para isso serve, e basicamente o dia para ela está sempre de chuva, e quando ainda tentamos animá-las, atiram: “Pois, falar é muito fácil quando não se passa pelo mesmo!”
. Porque continuamos amigas? Hummm. É uma boa pergunta. Talvez porque nos amam com a mesma intensidade com que odeiam, ou talvez porque houve uma altura, num passado remoto, em que ainda achámos que podíamos ajudar. Quando percebemos que não podíamos, porque ela não queria a nossa ajuda, já era demasiado tarde para a ‘desamigar’.
. O que podemos fazer: Não tentar concorrer com ela em termos de desgraças, porque ela ganha-nos sempre. Também não cair na asneira de dizer ‘Coitadinha!’ porque ela dispara logo ‘Nunca fui coitadinha, graças a Deus!’ Basicamente, o melhor a fazer é ouvir e calar, e ir pensando no que é que vai fazer para o jantar.

A Carente
Não precisa de uma amiga, precisa de um par de ouvidos, e tanto lhe faz serem os nossos como os de outra pessoa qualquer. Se calhar isto não é bem verdade, mas é a sensação com que ficamos quando estamos com ela. Ao princípio achámos graça, pensámos que era um sinal de cumplicidade imediata, pensámos ‘olha que giro uma pessoa que acabei agora mesmo de conhecer e como já temos tantas coisas em comum’, mas ao fim de duas horas em que ela fala sem se calar aquilo começou a tornar-se um bocado cansativo. Só nos lembramos daquela personagem do Quino, a Susaninha, que ralhava à Mafaldinha por não estar ‘aberta ao monólogo’. . Porque continuamos amigas? Ela precisa de alguém com quem desabafar e só ela segura a relação, e nós deixamos correr porque precisamos de companhia. É triste mas é verdade.

Porque continuamos amigas: Porque temos a sensação de que ela precisa de nós.
. O que podemos fazer: Se for possível, racionar os encontros ou levar outras pessoas para partilhar o fardo. Mas é uma relação que não costuma ter futuro porque, eventualmente, a ‘ouvinte’ acaba por ‘morrer’ de exaustão e a corda quebra…

A Distante
Se pensarmos bem, a última vez que a vimos foi há… dois anos? Ela aparece-nos de fugida no Facebook, diz-nos ‘Ai estás tão linda!’ numa foto qualquer, manda beijinhos beijinhos, espeta um like e torna a desaparecer tão depressa como chegou, como a Fada Sininho. A vida dela complicou-se, a nossa também, partilhamos este maldito mundo em que parece não haver tempo para o que é importante. Sabemos que o importante é uma pessoa estar no nosso coração, mas também é importante estar quotidianamente connosco…
Gostamos dela, faz parte da nossa vida, achamos nós, porque ainda pensamos nela, às vezes, mas a verdade é que nunca estamos com ela e se calhar essa vida de que ela faz parte já não é a nossa… Ou é? Assunto para discussão: a partir de quando é que uma pessoa deixa de fazer parte da nossa vida?

. Porque continuamos amigas? Porque gostamos genuinamente dela e porque de facto não há razão nenhuma para não continuarmos amigas.
. O que podemos fazer: Não estar à espera que os outros façam tudo, e tomar a iniciativa de lhe ligar mais vezes, de fazer um esforço para estar mais tempo com ela. Às vezes a culpa também é nossa…

A Desgraçadinha
Esta é mesmo desgraçadinha. O marido fugiu, o chefe despediu-a, o cão morreu com um osso entalado na glote e a sogra, em vez de morrer com um osso entalado na glote, continua viva a atazanar-lhe o juízo. Temos sempre remorsos quando não podemos estar com ela, temos sempre a sensação de que não fizemos o suficiente quando estamos, sentimo-nos permanentemente culpadas porque a vida corre-nos (um bocadinho) melhor, e não podemos partilhar alegrias porque a desgraçada, pronto, é desgraçada. Com que cara é que se chega ao pé de uma desgraçada e se diz “Olha, sabes, estou tão contente, estou grávida!”, ou “olha, sabes, estou tão contente, encontrei alguém que gosta mesmo de mim”. Ou mesmo “olha, sabes, estou tão contente por nenhuma razão em especial, só porque está um dia bonito e os passarinhos cantam e já não me dói o siso do lado esquerdo.” Suspiro.
. Porque continuamos amigas? Porque ela precisa de nós. E, de alguma maneira estranha e psicanalítica, nós também precisamos dela, porque uma inconfessada parte de nós pensa “bolas, ainda bem que não sou eu”. Essa nunca foi a melhor parte de nós nem a melhor razão para estar com uma pessoa. Mas lá está: existe.
. O que podemos fazer: Convidá-la para tomar um cafezinho ao fim da tarde, arranjar quem fique com os miúdos e levá-la a passear, arrastá-la para um fim de semana de paz e sossego, ou simplesmente ouvi-la mesmo, sem estar a pensar “ó meu Deus, é mesmo desgraçadinha”, e ajudá-la a encontrar soluções para o que a preocupa, mesmo que se tenha a certeza de que ela não vai seguir nenhuma.

A Stressada
Nunca está só connosco, com calma, em paz e sossego, de olhos nos olhos. Chega sempre atrasada porque vem de uma reunião, um lançamento ou uma consulta no oftalmologista, parte sempre a correr porque ainda tem de ir buscar a Ritinha à natação, passar na lavandaria e comprar um presente para a sogra que faz anos amanhã. A vida é um carrossel: não diz que não a ninguém, o que quer dizer que nunca está verdadeiramente com ninguém, e está sempre pronta a ajudar mas nunca é realmente efetiva. Quando andamos com ela na rua, ela vai sempre dois passos mais à frente do que nós, mesmo que por acaso não esteja milagrosamente atrasada para nada (mas está sempre). Anda sempre em passo de corrida, faz muito mais do que toda a gente, tem conversa para este mundo e o outro, e é um amor de pessoa. É pena que nos dê insónias só de olhar para ela.
. Porque continuamos amigas? Porque nos dá demasiado trabalho desamigá-la, se não atendemos o telemóvel liga-nos 17 vezes por hora.
. O que podemos fazer: Aproveitar o que temos. Apesar de tudo, dá-nos mais do que muita gente…

A Perfeita
Nada está fora do sítio: o cabelo, a roupa, o marido, os filhos. É linda de morrer, o marido é lindo de morrer, os filhos são lindos de morrer, até o gato é lindo de morrer. É simpática, engraçada e boazinha. Vai ao ginásio à hora de almoço, nunca tem uma unha partida, e faz voluntariado ao domingo num centro comunitário para pessoas sem-abrigo. Tem sempre tempo para toda a gente. Nunca se exalta. E consegue andar de saltos altos na calçada portuguesa. Grrrr…
. Porque continuamos amigas? Temos a secreta esperança de um dia acordar parecidas com ela, ou mesmo que se possa contrair a perfeição e que alguma daquela beleza passe para nós, tipo por osmose.
. O que fazer: Tentarmos ser mais parecidas com ela no que conseguirmos, sabermos que não faz mal se não conseguirmos, e lembrarmo-nos de que a perfeição é uma grande chatice (i.e, sabemos que isto não é consolo nenhum).

A Mãe de Família
Nunca se está só com ela, está-se com ela e mais o Tiaguinho, o Joãozinho e a Maria. ‘Ó Vasco! Tu és capaz de largar o teu irmão fazes favor, ou é preciso eu levantar-me e ir aí resolver a coisa? Ó Joana, tu desculpa lá e aguenta aí um minuto, eu vou só ali separar os miúdos e já venho, sabes que isto com crianças…” ‘Sabes que isto com crianças…’ é a sua frase preferida, implicando que é uma pessoa bués ocupada, sem tempo para coisas normais como o comum mortal ou a desocupada solteira. Até pode ter só uma criança, mas é a mesma coisa que ter 12. Nunca está sem a criança, nunca pode por causa da criança, e mesmo quando pode, leva a criança, e mesmo quando não leva a criança, está continuamente a falar da criança.
. Porque continuamos amigas? Porque temos saudades do tempo em que ela não tinha criança nenhuma e porque uma parte irrealista de nós ainda acha que um dia vamos ter esse tempo de volta. Daqui a mais ou menos 20 anos. Não vamos. Aí há de haver netos.
. O que podemos fazer: Nada. Este é mesmo um caso sem remédio. Habitue-se que agora aquela pessoa é uma Mãe. Aproveite o que pode.

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

Adia várias vezes o alarme de manhã? O problema que pode estar por detrás da

Adia várias vezes o alarme de manhã? O problema que pode estar por detrás da "mania"

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

Quando os médicos têm dúvidas

Quando os médicos têm dúvidas

Animais que nos fazem rir!

Animais que nos fazem rir!

Consistência, técnica e muito sabor no novo menu do Kabuki

Consistência, técnica e muito sabor no novo menu do Kabuki

As subidas dos preços das casas explicadas em cinco gráficos

As subidas dos preços das casas explicadas em cinco gráficos

10 animais que resistem ao calor

10 animais que resistem ao calor

ChatGPT chega a todos os Peugeot equipados com comandos de voz

ChatGPT chega a todos os Peugeot equipados com comandos de voz

A Espiritualidade: Luz vs Trevas

A Espiritualidade: Luz vs Trevas

Dacia Spring: o 100% elétrico mais acessível ganhou um grande upgrade

Dacia Spring: o 100% elétrico mais acessível ganhou um grande upgrade

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por "jumpsuits"

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

À beira da piscina com estilo

À beira da piscina com estilo

Na primeira pessoa:

Na primeira pessoa: "Os carteiristas consideram-nos um perigo e já tivemos alguns a ameaçar-nos com facadas e com pedras"

Portugal e a Lei de Restauro da Natureza

Portugal e a Lei de Restauro da Natureza

Afinal, o que é isto do luxo?

Afinal, o que é isto do luxo?

Google muda de ideias e não vai eliminar cookies de terceiros no Chrome

Google muda de ideias e não vai eliminar cookies de terceiros no Chrome

Família real da Bélgica reunida para celebrar o Dia Nacional do seu país

Família real da Bélgica reunida para celebrar o Dia Nacional do seu país

Festival Músicas do Mundo: Até a Lua cheia veio ajudar ao cenário idílico

Festival Músicas do Mundo: Até a Lua cheia veio ajudar ao cenário idílico

O visual roqueiro de Vanessa Oliveira no NOS Alive

O visual roqueiro de Vanessa Oliveira no NOS Alive

"Um Domingo Interminável": Um olhar sobre o submundo de Roma no formato de um filme aventuroso e trágico

Duches de exterior: a única 'chuva' permitida durante o verão

Duches de exterior: a única 'chuva' permitida durante o verão

Conheça a nova flagship store da Molteni&C em Lisboa

Conheça a nova flagship store da Molteni&C em Lisboa

Sebastião da Gama - Carne e espírito na Arrábida

Sebastião da Gama - Carne e espírito na Arrábida

Como as alterações climáticas estão a mexer com o tempo (mas não com o tempo em que está a pensar)

Como as alterações climáticas estão a mexer com o tempo (mas não com o tempo em que está a pensar)

Tribunal chumbou providência cautelar da Câmara de Montalegre que tentava travar mina de lítio

Tribunal chumbou providência cautelar da Câmara de Montalegre que tentava travar mina de lítio

Fausto - O último dos puros

Fausto - O último dos puros

O vestido preto com que Letizia nunca se compromete

O vestido preto com que Letizia nunca se compromete

XIV Congresso dos Lusitanistas - lugar de entendimento, agregação e diversidade

XIV Congresso dos Lusitanistas - lugar de entendimento, agregação e diversidade

Em

Em "Cacau": No funeral de Justino Tiago faz as pazes com Cacau

Robô expressivo da Disney já aprendeu a navegar por superfícies mais acidentadas

Robô expressivo da Disney já aprendeu a navegar por superfícies mais acidentadas

Equipa do Técnico conquista segundo lugar em competição  de barcos elétricos

Equipa do Técnico conquista segundo lugar em competição de barcos elétricos

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

Em

Em "Senhora do Mar", Judite trai Joana e deixa Alex ver a neta

Os heróis portugueses que vão às Olimpíadas

Os heróis portugueses que vão às Olimpíadas

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Michael Douglas já começou a celebrar o seu 80.º aniversário

Michael Douglas já começou a celebrar o seu 80.º aniversário

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

25 peças para receber a primavera em casa

25 peças para receber a primavera em casa

Alberto e Charlene na etapa da Volta a França no Mónaco

Alberto e Charlene na etapa da Volta a França no Mónaco

Zunder, a aplicação para carregar o carro por toda a Europa, chega a Portugal

Zunder, a aplicação para carregar o carro por toda a Europa, chega a Portugal

Todas as imagens do casamento de Isabela Valadeiro e Carlos Ferra no Alentejo

Todas as imagens do casamento de Isabela Valadeiro e Carlos Ferra no Alentejo

Rui Cardoso Martins: “Este livro reflete uma grande convicção de que a vida triunfa”

Rui Cardoso Martins: “Este livro reflete uma grande convicção de que a vida triunfa”

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites