Andreia Gomes assume o cargo de Senior Head of Employer Brand & People Communications naquela que é a maior plataforma de moda e tecnologia em Portugal e uma das maiores no mundo, a Farfetch.

Aceitou o desafio há quatro anos, e depois de mais de 15 de experiência em diversas áreas, desde o marketing, passando pela comunicação interna e relações públicas, à comunicação digital. “A FARFETCH junta dois mundos que me apaixonam, a tecnologia e a moda, e trouxe-me o desafio de aliar a comunicação, a construção de marca e a gestão de pessoas, uma fórmula que junta tudo o que adoro fazer profissionalmente”, conta-nos.

Conheça melhor a nossa convidada desta DEEP TALK.

Qual foi o episódio mais marcante do seu percurso profissional até hoje?

Felizmente, tive a sorte de ter muitos momentos que me inspiraram, mas, sem dúvida, no meu percurso há um antes e um depois da Farfetch. Isso advém do facto de ter encontrado uma empresa com uma cultura revolucionária, onde sou eu própria e tenho espaço para dar o melhor de mim. Uma cultura de ambição contagiante, com um drive para a inovação, que abre um mundo de possibilidades e dá espaço para fazer acontecer.

O que mais gosta na sua profissão?

O facto de não ter dias iguais uns aos outros, o espaço para a inovação e para a criatividade. Acima de tudo, o facto de pensar que quando trabalhamos em customer branding estamos a influenciar comportamentos, o que é muito aliciante, e quando trabalhamos em employer branding estamos potencialmente a influenciar decisões que mudam vidas e rumos profissionais. Isso é fantástico. Neste sentido, o trabalho de construção de marca tem que ser absolutamente autêntico e não um exercício publicitário.

Descreva um dia típico seu.

Sou mãe e, por isso, as primeiras horas do dia são divididas entre o cuidar de mim e o cuidar dos filhos. Assim que me ligo ao trabalho, o meu dia começa sempre com 5 a 10 minutos de comunicação com a equipa. Somos uma equipa dividida por dois países, por isso, há muito tempo, mesmo antes da pandemia, que estabelecemos um ritual diário de bons dias e conexão remota que nos permite sentir que estamos a trabalhar na secretária ao lado uns dos outros, mesmo que estejamos em geografias completamente diferentes. Depois, entre reuniões de planeamento, há reuniões de projetos específicos em que me envolvo diariamente. O tempo passa a correr e não tenho propriamente um dia típico. Felizmente, não tenho muitos dias uns iguais aos outros.

Que tipo de questões e dúvidas recebe mais em relação à Farfetch?

Das mais variadas, mas diria que da parte dos meios em Portugal, as maiores dúvidas relacionam-se com os resultados financeiros da empresa. Não há, ou há muito poucas empresas em Portugal a crescerem a dois dígitos e a investirem como a Farfetch e, portanto, há alguma dificuldade em entender que as rubricas de resultados não podem ser vistas de forma isolada e têm que ter em consideração a visão de longo prazo da empresa.

Como está organizada a estrutura e que posições existem na Farfetch em Portugal?

Na Farfetch em Portugal existem duas grandes áreas da plataforma, tecnologia e operações, e também muitas áreas de suporte ou serviços. No site da Farfetch há dezenas de oportunidades incríveis em diferentes áreas do negócio e que integram estruturas e áreas funcionais absolutamente internacionais, o que por si só é uma oportunidade interessante, porque significa que há uma exposição a um conhecimento e a um desenvolvimento profissional que é pouco comum no País.

O que deve fazer alguém que gostava de trabalhar na Farfetch? Faz sentido abordar os RH no Linkedin?

A primeira porta de entrada é o nosso site carreiras. Lá encontram-se todas as oportunidades disponíveis em todas as áreas funcionais e em todos os países onde temos vagas abertas. Diria que o primeiro passo seria esse: conhecer as oportunidades e saber como funciona o processo de recrutamento.

Que conselhos daria a quem gostaria de seguir uma carreira como a da Andreia?

Aprender sempre e, para tal, é preciso manter a mente aberta e encarar cada interação como uma oportunidade de aprendizagem. Acho que as pessoas se focam demasiado na aprendizagem formal. O impacto daquilo que aprendemos on the job, na interação com os outros, é enorme e, por vezes, subvalorizado.

Como cultiva o networking?

Os eventos são naturalmente espaços de partilha, de encontro de ideias e pessoas de diferentes áreas e setores de atividade. Por isso, são o motor de networking e o ponto de encontro com profissionais de diferentes áreas e indústrias.

Que tipo de meios consome para se manter informada?

Leio diariamente jornais, mas cada vez mais sou consumidora ávida de podcasts, não tanto para me manter informada sobre a atualidade, mas sobretudo para me inspirar, para conhecer outras perspetivas, para aprender com as experiências dos outros. Depois, naturalmente, leio o Business of Fashion, um meio muito especializado e uma referência para a indústria da moda global.

Quais são as principais tendências do mercado do Luxo? Que novas oportunidades deteta para o surgimento de novas marcas?

Acho que o mercado do luxo está menos conservador essencialmente porque o consumidor de luxo tem vindo a mudar. Isto abre um mundo de oportunidades para marcas novas, mas também para as marcas existentes. O mercado do luxo, que é um mercado que valoriza a heritage, hoje vive cada vez mais de mãos dadas com uma criatividade disruptiva e com a inovação aliadas à tradição..

Que oportunidades de trabalho existem dentro do setor da Luxo em Portugal?

Portugal, pela sua dimensão, não é naturalmente um mercado forte no setor do luxo. No entanto, existem algumas oportunidades e as marcas de escala global que operam no País terão naturalmente mais oportunidades disponíveis.

Se pudesse escolher outra profissão, o que seria?

Gostava de experimentar trabalhar em cinema, entre o argumento e a realização. Adoro a magia da história contada através de uma câmara, adoro a magia do cinema de animação e gostava muito de escrever para cinema.

Que conselhos daria a si mesma se tivesse 25 anos?

Que há poucas coisas que devemos temer a nível profissional, que devemos arriscar, sempre, seja qual for a nossa idade, mas ainda mais quando temos 25 anos e um mundo para conhecer e experimentar. Só isso nos permite explorar todos os territórios e encontrar aquilo que realmente gostamos de fazer e que nos faz felizes.

O que se vê a fazer daqui a 5 anos? E daqui a 10 anos?

Não sei. O mundo muda demasiado depressa para fazermos planos a tão longo prazo. Se for feliz como sou hoje, então provavelmente estarei a fazer a mesma coisa. No fundo, aquilo que faço há quase 20 anos, mas que é diferente todos os dias e foi mudando ao longo dos anos, ao mesmo ritmo que mudam as indústrias, as tecnologias, o marketing, a comunicação, as tendências.

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Álvaro Covões na capa da EXAME de Junho

Álvaro Covões na capa da EXAME de Junho

Setores da construção e imobiliário com

Setores da construção e imobiliário com "fraco arranque" de ano

Será possível reduzir o consumo energético e continuar a crescer?

Será possível reduzir o consumo energético e continuar a crescer?

Nova estrutura única para as dependências entra em funcionamento em 2024

Nova estrutura única para as dependências entra em funcionamento em 2024

O segundo vestido de Rajwa Al Saif com flores tridimensionais

O segundo vestido de Rajwa Al Saif com flores tridimensionais

ATL para cientistas

ATL para cientistas

Descubra porque é que Kate altera os vestidos de alta costura

Descubra porque é que Kate altera os vestidos de alta costura

Devem as empresas ajudar os colaboradores a desfrutar a vida?

Devem as empresas ajudar os colaboradores a desfrutar a vida?

Stellantis inaugura primeira gigafábrica de baterias da AAC em França

Stellantis inaugura primeira gigafábrica de baterias da AAC em França

Casa da Criatividade celebra 10 anos com 188.537 espectadores e

Casa da Criatividade celebra 10 anos com 188.537 espectadores e "oferta mais ajustada"

As tendências de Verão da Banak para a casa

As tendências de Verão da Banak para a casa

Conjuntos: 18 ideias para conjugar peças nos meses quentes

Conjuntos: 18 ideias para conjugar peças nos meses quentes

Microsoft paga 20 milhões de dólares para resolver violação de privacidade de menores na Xbox Live

Microsoft paga 20 milhões de dólares para resolver violação de privacidade de menores na Xbox Live

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Marta Melro esclarece: concertos dos D'ZRT prejudicaram relação com Vintém?

Marta Melro esclarece: concertos dos D'ZRT prejudicaram relação com Vintém?

Cristiano Ronaldo dá parabéns aos filhos gémeos e escreve:

Cristiano Ronaldo dá parabéns aos filhos gémeos e escreve: "O papá tem muito orgulho em vocês"

A cumplicidade de Letizia e Felipe VI no Dia nacional das Forças Armadas

A cumplicidade de Letizia e Felipe VI no Dia nacional das Forças Armadas

Pink Dolphin: morada de arte e objetos especiais no Poço dos Negros

Pink Dolphin: morada de arte e objetos especiais no Poço dos Negros

Vincent Van Duysen e Zara Home numa nova parceria criativa

Vincent Van Duysen e Zara Home numa nova parceria criativa

JL 1372

JL 1372

Powerdot e Miio lançam sistema de carregamento automático para veículos elétricos

Powerdot e Miio lançam sistema de carregamento automático para veículos elétricos

ATL para aventureiros

ATL para aventureiros

"Rabo de Peixe" em 7.º lugar no 'top' da Netflix para séries em línguas que não inglês

Rainhas e princesas adotam estilo

Rainhas e princesas adotam estilo "marinheiro"

Em bons lençóis. Três marcas portuguesas apostam no têxtil de cama

Em bons lençóis. Três marcas portuguesas apostam no têxtil de cama

Milhões de placas-mãe da Gigabyte vendidas com ‘porta dos fundos’

Milhões de placas-mãe da Gigabyte vendidas com ‘porta dos fundos’

Black Pavilion: Para comer de olhos bem abertos

Black Pavilion: Para comer de olhos bem abertos

Santa Maria recebe radar da LeoLabs para vigilância do espaço.

Santa Maria recebe radar da LeoLabs para vigilância do espaço. "Queremos ser bons vizinhos", diz CEO da empresa americana

Drone com IA mata operador humano em teste simulado da Força Aérea dos EUA

Drone com IA mata operador humano em teste simulado da Força Aérea dos EUA

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: O resgate do pequeno duque

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: O resgate do pequeno duque

JL 1373

JL 1373

JL 1370

JL 1370

Festivais de verão 2023: guia de norte a sul do País

Festivais de verão 2023: guia de norte a sul do País

Jokha Alharthi:

Jokha Alharthi: "A globalização tem aspetos positivos, não se pode negar, mas será que nos aproximou uns dos outros?"

Peugeot 3008 vai ter um ecrã curvo gigante

Peugeot 3008 vai ter um ecrã curvo gigante

Hackers russos roubam dados de funcionários de empresas britânicas

Hackers russos roubam dados de funcionários de empresas britânicas

Ricardo Raposo mostra-se apaixonado pela bailarina Fabiana de Sousa

Ricardo Raposo mostra-se apaixonado pela bailarina Fabiana de Sousa

Rania elege vestido preto de alta costura para o casamento do filho

Rania elege vestido preto de alta costura para o casamento do filho

Um planeta febril: Como vai ser a vida com 50 °C

Um planeta febril: Como vai ser a vida com 50 °C

Portugal, 24 de abril: como era o País nas vésperas da revolução

Portugal, 24 de abril: como era o País nas vésperas da revolução

Espaço: Ding Dong em Matosinhos

Espaço: Ding Dong em Matosinhos

Campos de férias: dias de aventura!

Campos de férias: dias de aventura!

Marinha portuguesa assina acordo com fundo dinamarquês

Marinha portuguesa assina acordo com fundo dinamarquês

Georgina Rodríguez usa visual sensual no aniversário dos gémeos... e é criticada

Georgina Rodríguez usa visual sensual no aniversário dos gémeos... e é criticada

Évora, a capital dos veículos elétricos durante este fim de semana, terá uma rede de autocarros 100% elétricos

Évora, a capital dos veículos elétricos durante este fim de semana, terá uma rede de autocarros 100% elétricos

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites