Mafalda Rodrigues de Almeida/DR

Perguntámos à nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida tudo o que sempre quisemos saber sobre o ‘plano alimentar’ mais popular do momento.

Como nutricionista, qual a sua opinião sobre o jejum intermitente?

Gosto bastante desta prática desde que feita com muito respeito pelo corpo e pelas suas necessidades. De nada vale fazer jejum intermitente durante 16 ou 18h se estamos cheios de fome ao fim de 14h. Claramente o corpo mostra-nos que está em carência e irá entrar em catabolismo (usar massa muscular como fonte de energia) para suprir as suas necessidades. No fundo, o jejum intermitente preconiza um período de tempo, no mínimo de 12h, em que não vamos ter qualquer tipo de ingestão alimentar sobretudo alimentos que possam ter valor calórico.

Para que se faz?

A perda de peso pode ser um dos benefícios, tal como a prevenção de alguns problemas de saúde, maior equilíbrio na produção hormonal, maior variedade e quantidade de boas bactérias da flora intestinal, diminuição da inflamação, retardamento do envelhecimento, prevenção de problemas cardiovasculares e até regulação do sono.

Diria que podemos fazer por motivos de saúde e/ou de peso. Se o fizermos pela saúde devemos ajustar a ingestão calórica durante a janela de tempo em que estamos a comer para que as calorias que estamos a ingerir durante o dia sejam as que precisamos para manter. Por outro lado, se quisermos perder peso, aproveitamos as horas de jejum para criar um défice calórico, porque ‘saltamos’ uma refeição, o que ajudará naturalmente a atingir os nossos objetivos.

Como o jejum pode também ajudar a regular os níveis de glicemia, pode ser uma boa estratégia de detox após excessos como a Páscoa, o Natal ou as férias. Mas, mais uma vez, acredito que o devemos fazer dentro daquilo que é exequível para o corpo e não em sacrifício.

Em que casos é que não recomenda o jejum intermitente?

Pessoas que estejam a passar por fases de crescimento, portanto abaixo dos 18 anos, não se recomenda de todo. Pessoas que estejam a passar por fases da vida muito particulares, como por exemplo uma gravidez. Ou pessoas que tenham patologias como o caso da diabetes em que se mexe com a glicemia, sendo que nestes casos tem de se ter mais atenção. Para todo o resto das pessoas, de uma forma geral, o jejum é considerado seguro porque na realidade se nós estamos a acompanhar o ritmo do nosso corpo, estamos a respeitar a nossa fome, as nossas necessidades, então não haverá grande problema

Quanto tempo deve durar?

Depende, o período mínimo são 12h, podendo ir até 16h, 20h, 24h ou até 48h. Por exemplo, se eu acabar de jantar às 21h, não ingerir mais nenhum alimento, e só tomar o pequeno almoço às 9h, já estou a cumprir um período de jejum intermitente equilibrado, bem feito e adequado.

Posso fazer jejum para sempre?

Não temos ainda estudos de efeito a muito longo prazo mas desde que a pessoa se sinta bem a fazê-lo e que esteja saudável não há razão para não o fazer.

O que comer após o jejum?

Para quebrar o jejum deve optar-se por uma boa fonte de proteína. É normal que após um jejum lhe apeteça ingerir fruta ou hidratos de carbono mas nesta altura o corpo precisa da proteína como nutriente principal. E porquê? Porque durante este período de jejum, o nosso corpo foi às nossas reservas de hidratos de carbono e de alimentos que consumimos na última refeição ‘buscar’ energia corporal. A este processo chamamos de citogénese, que no fundo é quando o nosso corpo usa a massa gorda como fonte de energia.

Deixo alguns exemplos:
Quebrar o jejum a meio da manhã: ovo cozido e uma peça de fruta, húmus com palitos de fruta, Iogurte skyr com fruta
Quebrar o jejum ao almoço: Fonte de carne, peixe ou ovo, com leguminosas ou tofu com legumes.

Como sei qual a melhor variação (altura do dia e horas que fico sem comer) para mim?

De acordo com a cronobiologia, o metabolismo humano está programado para ter maiores necessidades energéticas de manhã e vai decrescendo ao longo do dia, tal como o sol se vai pondo. À noite é quando temos um metabolismo mais desacelerado que se está a preparar para o sono. Por isso, idealmente o jejum deveria começar à tarde e terminar de manhã.

No entanto, para muitas pessoas é mais difícil deixar de fazer o jantar do que não tomar o pequeno-almoço, por isso, as práticas de jejum mais comuns iniciam-se após o jantar e quebram à hora de almoço. No fundo, acho que tal como devemos ouvir o corpo, devemos conhecermo-nos a nós. Se tenho uma família e, para mim, é importante partilhar uma refeição por dia com todos, então devo escolher aquela que é mais importante. Para algumas pessoas é o jantar, para outras o pequeno-almoço.

Varia consoante idade ou estilo de vida?

Varia, e também com as preferências. Há pessoas que nunca gostaram de tomar o pequeno-almoço. São pessoas que, tendencialmente, após acordarem só começam a sentir o metabolismo mais acelerado passadas 2 ou 3h. Para estas pessoas provavelmente jantar e só almoçar será a melhor opção.

Para quem acorda com muita fome de manhã ou para quem treina de manhã não recomendo de todo manter o jejum até ao almoço. Os sinais do corpo são claros e devemos respeitá-los. Da mesma forma que com a idade tendemos a sentir um pouco menos apetite e podemos aproveitar para fazer jejum jantando, por exemplo, mais cedo e quebrando o jejum a meio da manhã.

Quais os sinais de alarme, quando devo parar?

Diria que a fome é o sinal de alarme número 1. Ter fome significa que provavelmente começámos a produzir insulina e precisamos de comer para equilibrar. Não o fazer pode levar a uma quebra abrupta e sensação de fraqueza. Ter dores de cabeça também não é bom sinal, significa que não estamos a usar as reservas de gordura corretamente e que o corpo precisa mesmo de alimento.

Outro sinal de alerta menos obvio é, para uma pessoa que nunca tinha sentido isto, começar a ter uma vontade tremenda de petiscar ao fim do dia. Pode ser um sinal de descompensação por não estarmos a nutrir o corpo na altura do dia em que ele mais precisa (manhã), e entramos numa descompensação ao fim do dia.

Mas o jejum não me ensina a comer… voltarei facilmente ao peso inicial?

Não, até porque não nos podemos esquecer que jejum é só não comer e não há técnica mais simples para perder peso. Mas, a verdade é que isso não nos ensina nada. Eventualmente pode fazer-nos perceber que não precisamos de comer só porque está na hora do pequeno-almoço e que se abusámos no jantar do dia anterior conseguimos aguentar mais umas horas na manhã seguinte e que isso até nos leva a uma maior sensação de leveza. Ou seja, pode ensinar-nos a ouvir o corpo.

Se a pessoa não se alimentar de forma equilibrada mesmo fazendo jejum pode nem sequer notar nenhuma diminuição do peso ou da massa gorda. Por isso, se perdeu peso a fazer jejum é importante compreender que, se quer manter, terá que adaptar o que come, manter refeições mais saciantes e que estimulem consideravelmente menos os níveis de açúcar no sangue pela manhã, apostar em fontes de fibra que mantêm a sensação de saciedade durante mais tempo e procurar ter sempre um aporte de proteína adequado.

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

Sábado de chuva deixa 11 distritos sob avisos amarelo e até laranja

Sábado de chuva deixa 11 distritos sob avisos amarelo e até laranja

JL 1396

JL 1396

25 de Abril contado em livros

25 de Abril contado em livros

DS E-Tense Performance: Serão assim os superdesportivos do futuro?

DS E-Tense Performance: Serão assim os superdesportivos do futuro?

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

PCP apresenta medidas para

PCP apresenta medidas para "inverter a degradação" do SNS

Os melhores momentos do casamento de Dânia Neto e Luís Matos Cunha

Os melhores momentos do casamento de Dânia Neto e Luís Matos Cunha

Em “Cacau”: Marco e Cacau assumem o namoro a dias de serem pais

Em “Cacau”: Marco e Cacau assumem o namoro a dias de serem pais

Passatempo: ganha convites para 'A Grande Viagem 2: Entrega Especial'

Passatempo: ganha convites para 'A Grande Viagem 2: Entrega Especial'

Rir é com ela!

Rir é com ela!

Semana em destaque: Musk volta a gritar

Semana em destaque: Musk volta a gritar "Carro autónomo", mas poucos acreditam

Há séculos que não se assistia a nada assim: biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos este ano

Há séculos que não se assistia a nada assim: biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos este ano

Nicolas Floc’h levou as cores da água para dentro do MAAT

Nicolas Floc’h levou as cores da água para dentro do MAAT

Santa Casa: 20 casos sob suspeita na Justiça

Santa Casa: 20 casos sob suspeita na Justiça

GNR apreende 42 quilos de meixão em ação de fiscalização rodoviária em Leiria

GNR apreende 42 quilos de meixão em ação de fiscalização rodoviária em Leiria

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

As Revoluções Francesas na VISÃO História

As Revoluções Francesas na VISÃO História

Exame Informática TV nº 859: Veja dois portáteis 'loucos' e dois carros elétricos em ação

Exame Informática TV nº 859: Veja dois portáteis 'loucos' e dois carros elétricos em ação

Parcerias criativas, quando a arte chega à casa

Parcerias criativas, quando a arte chega à casa

Bolieiro quer reforçar verbas para a Saúde no próximo orçamento regional

Bolieiro quer reforçar verbas para a Saúde no próximo orçamento regional

Regantes de Campilhas querem reforçar abastecimento de água e modernizar bloco de rega

Regantes de Campilhas querem reforçar abastecimento de água e modernizar bloco de rega

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Conheça a razão porque Letizia esteve sempre sentada na sessão de cumprimentos

Conheça a razão porque Letizia esteve sempre sentada na sessão de cumprimentos

"O Rapto": O Papa, rei e raptor, numa interpretação fabulosa de Paolo Pierobon

Vida ao ar livre: guarda-sol Centra

Vida ao ar livre: guarda-sol Centra

É o fim do mundo dos escritórios como o conhecemos, mas está tudo bem!

É o fim do mundo dos escritórios como o conhecemos, mas está tudo bem!

Lucros da Netflix disparam no primeiro trimestre

Lucros da Netflix disparam no primeiro trimestre

João Abel Manta, artista em revolução

João Abel Manta, artista em revolução

VISÃO Se7e: Celebrar Abril, em casa e na rua

VISÃO Se7e: Celebrar Abril, em casa e na rua

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Luísa Beirão: “Há dez anos que faço programas de ‘detox’”

Luísa Beirão: “Há dez anos que faço programas de ‘detox’”

40 empresas portuguesas marcam presença na 62ª edição do Salão do Móvel de Milão

40 empresas portuguesas marcam presença na 62ª edição do Salão do Móvel de Milão

Fotógrafa Annie Leibovitz membro da   Academia Francesa das Belas Artes

Fotógrafa Annie Leibovitz membro da   Academia Francesa das Belas Artes

A gestão aos gestores

A gestão aos gestores

Bougain: Um ano a reavivar a História em Cascais

Bougain: Um ano a reavivar a História em Cascais

As escolhas de guarda-roupa de Letizia e Máxima durante a visita do reis de Espanha aos Países Baixos

As escolhas de guarda-roupa de Letizia e Máxima durante a visita do reis de Espanha aos Países Baixos

Estivemos no Oeiras Eco-Rally ao volante de dois Peugeot (e vencemos uma etapa)

Estivemos no Oeiras Eco-Rally ao volante de dois Peugeot (e vencemos uma etapa)

Recorde alguns dos melhores 'looks' de Anya Taylor-Joy

Recorde alguns dos melhores 'looks' de Anya Taylor-Joy

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Elvas, capital do Império onde o sol nunca se põe

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Elvas, capital do Império onde o sol nunca se põe

Dânia Neto abre o álbum de casamento:

Dânia Neto abre o álbum de casamento: "Bolha de amor"

Bruna Gomes e Bernardo Sousa brilham no casamento de Dânia Neto

Bruna Gomes e Bernardo Sousa brilham no casamento de Dânia Neto

Ministra não tem limites 'a priori' nas negociações com médicos, enfermeiros e farmacêuticos

Ministra não tem limites 'a priori' nas negociações com médicos, enfermeiros e farmacêuticos

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites