Loonor Silva/fotos: DR

É formada em História, tem um mestrado em Arqueologia e em 2017 – já depois dos 50 anos – lançou a sua própria marca de joalharia, a Leonor Silva Jewellery. Considera-se uma joalheira de intervenção, cada peça tem uma “mensagem social poderosa”. Para assinalar os 50 anos do 25 de Abril criou uma coleção que é um “grito de liberdade”, com peças tão lindas quanto pertinentes. Falámos com Leonor Silva.

História, Arqueologia…. como chegou à joalharia?

A paixão pela joalharia esteve sempre presente na minha vida. Os adornos da antiguidade faziam parte do meu quotidiano e despertavam um fascínio incrível, sobretudo pelo significado que passavam. Sempre senti que a produção em massa não tem essência, e isso, levou-me a criar as minhas joias, sem metal precioso, e a personalizar tudo o que usava no meu dia-a-dia. O resultado era muito impactante e intemporal, descobrindo que havia espaço no mercado para o que visionava fazer um dia.

Era um sonho?

Sim, era um sonho guardado e alimentado diariamente, pois sabia que um dia iria fazer dele o meu modo de vida, foi tudo uma questão de tempo.

Nunca é tarde para perseguirmos os nossos sonhos?

Nunca, eu acredito que estamos sempre a tempo! Depois de termos a coragem de ir atrás dos sonhos, temos de maturar e planear bem a sua concretização e, ter noção que não acontece como nos contos de fadas. A persistência, a resiliência e o foco são cruciais para atingirmos a concretização de um projeto de vida que reflete a nossa essência.

As mulheres mais velhas tornam-se invisíveis para a sociedade?

De todo! As mulheres mais velhas têm uma força indestrutível, e o seu caminho torna-as poderosas. Esta sociedade de consumo rápido ludibria-nos com imagens de perfeição, que na maioria das vezes, são completamente vazias e desprovidas de significado e, é isso que temos de mostrar às mulheres mais jovens, que estão sujeitas a uma pressão desmedida. A idade traz-nos uma maturidade e um discernimento imprescindível para qualquer sociedade evoluída. Pensar que uma mulher de idade madura é descartável ou invisível, é uma ideia completamente aberrante.

É uma joalheira de intervenção?

Sim! A marca Leonor Silva Jewellery define-se pelo fabrico de peças de joalharia artesanal de valor artístico com uma mensagem social poderosa, elevando o papel da mulher na sociedade. Jamais, faço uma joia por ser bonita, cada peça que faço existe pela força da mensagem que transmite. As minhas joias são um instrumento de comunicação pela defesa de princípios e direitos que considero basilares numa sociedade desenvolvida.

Lembra-se de quando tomou essa consciência ‘política’?

Nasci 9 anos antes da revolução e através da minha família sempre tive muito presente o antes e o depois do 25 de Abril. Sempre fui muito crítica em relação àquilo que me rodeia, em grande parte porque cresci numa fase de viragem, de subversão, mas também pela minha formação académica. A História está repleta de factos que nos envergonham e que devemos ter presentes para que nunca mais se repitam. A memória é um património que deve regular as nossas ações, desde as mais simples às mais complexas.

Quais são as suas causas?

As mulheres, sempre, nomeadamente a liberdade e a autodeterminação de decidirmos sobre nós próprias. A defesa pelas liberdades individuais de cada um é algo de que não abdico. Todos somos diferentes, mas todos temos um coração que bate da mesma forma, por isso, tanto o respeito como a aceitação do outro deve ser algo natural, que não precisa de ser regulado. O respeito pelo planeta Terra, e a defesa de ações que respeitem o equilíbrio da natureza.
As causas que referi podem parecer comuns, mas na realidade, são a base da nossa existência.

Que mensagens-chave passam as suas joias?

As minhas joias, sejam de portfólio ou de coleções, têm sempre um tema que pressupõem uma reflexão. Tenho peças que falam da dor dos refugiados, do machismo, da arquitetura sustentável, dos estereótipos de beleza, da preservação dos ecossistemas e da autodeterminação feminina.
O uso do humor e da ironia são um recurso que me ajuda a estimular reações de quem observa as minhas joias. A cor e a diversidade de materiais também é algo que me ajuda trabalhar a mensagem. Uma coisa é certa, desafio-me sempre a surpreender.

No seu percurso o que mais a orgulha?

Orgulho-me de ser livre, de fazer aquilo que considero que devo fazer e de saber que as minhas joias falam por si, numa linguagem universal. Seja em Portugal, ou fora dele, o meu trabalho tem sido acarinhado e reconhecido nos quatro cantos do mundo.

50 anos do 25 de abril, o que diz a sua coleção?

São acima de tudo um grito de liberdade que nos fazem pensar nas nossas escolhas.  As decisões que tomamos e o futuro que construímos a partir delas.

O que ainda nos falta conquistar?

Temos de pensar que já conquistámos muito e devemos valorizar o que evoluímos. No entanto, anseio por conquistas que depois de 50 anos passados ainda tardam. Refiro-me, por exemplo, à questão de igualdade de género, algo que ainda está muito longe e isso entristece-me muito.

A democracia é uma luta que nunca acaba?

A democracia necessita de ser cuidada e acima de tudo valorizada, ela é tão importante como o ar que respiramos.

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

Amazon já ‘emprega’ 750 mil robôs. E tem menos 100 mil trabalhadores humanos

Amazon já ‘emprega’ 750 mil robôs. E tem menos 100 mil trabalhadores humanos

Exame Informática TV nº 859: Veja dois portáteis 'loucos' e dois carros elétricos em ação

Exame Informática TV nº 859: Veja dois portáteis 'loucos' e dois carros elétricos em ação

Semana em destaque: Musk volta a gritar

Semana em destaque: Musk volta a gritar "Carro autónomo", mas poucos acreditam

Celebrar a Liberdade no imenso palco do Festival Dias da Dança

Celebrar a Liberdade no imenso palco do Festival Dias da Dança

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

Os livros da VISÃO Júnior: Para comemorar a liberdade (sem censuras!)

Os livros da VISÃO Júnior: Para comemorar a liberdade (sem censuras!)

Tesla introduz novo Model 3 Performance

Tesla introduz novo Model 3 Performance

JL 1396

JL 1396

Revelado o destino de lua-de-mel de Dânia Neto

Revelado o destino de lua-de-mel de Dânia Neto

Máxima dos Países Baixos regressa às cores impactantes

Máxima dos Países Baixos regressa às cores impactantes

João Abel Manta, artista em revolução

João Abel Manta, artista em revolução

Dânia Neto abre o álbum de casamento:

Dânia Neto abre o álbum de casamento: "Bolha de amor"

Ratos velhos, sistema imunológico novinho em folha. Investigadores descobrem como usar anticorpos para rejuvenescer resposta imunitária

Ratos velhos, sistema imunológico novinho em folha. Investigadores descobrem como usar anticorpos para rejuvenescer resposta imunitária

Regantes de Campilhas querem reforçar abastecimento de água e modernizar bloco de rega

Regantes de Campilhas querem reforçar abastecimento de água e modernizar bloco de rega

Caras Decoração: escolhas conscientes para uma casa mais sustentável

Caras Decoração: escolhas conscientes para uma casa mais sustentável

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Supremo rejeita recurso da Ordem dos Enfermeiros para tentar levar juíza a julgamento

Supremo rejeita recurso da Ordem dos Enfermeiros para tentar levar juíza a julgamento

25 de Abril, 50 anos

25 de Abril, 50 anos

Fed e BCE em direções opostas?

Fed e BCE em direções opostas?

Sérgio Duarte desiste do “Big Brother 2024” e explica os motivos

Sérgio Duarte desiste do “Big Brother 2024” e explica os motivos

MAI apela à limpeza dos terrenos rurais

MAI apela à limpeza dos terrenos rurais

Sebastião Bugalho é o cabeça de lista da AD às europeias

Sebastião Bugalho é o cabeça de lista da AD às europeias

Casas sim, barracas não. Quando o pai de Marcelo Rebelo de Sousa ajudou os ocupantes do Bairro do Bom Sucesso

Casas sim, barracas não. Quando o pai de Marcelo Rebelo de Sousa ajudou os ocupantes do Bairro do Bom Sucesso

Rita Patrocínio revela

Rita Patrocínio revela "onde gostava de um dia viver"

Quando a cantiga foi uma arma

Quando a cantiga foi uma arma

Caras conhecidas atentas a tendências

Caras conhecidas atentas a tendências

Mello, Espírito Santo e Champalimaud. O Estado Novo e as grandes fortunas

Mello, Espírito Santo e Champalimaud. O Estado Novo e as grandes fortunas

Quis Saber Quem Sou: Será que

Quis Saber Quem Sou: Será que "ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?"

Tesla introduz novo Model 3 Performance

Tesla introduz novo Model 3 Performance

40 empresas portuguesas marcam presença na 62ª edição do Salão do Móvel de Milão

40 empresas portuguesas marcam presença na 62ª edição do Salão do Móvel de Milão

Zendaya surpreende com visual ousado

Zendaya surpreende com visual ousado

Quatro romances dos quatro cantos do mundo

Quatro romances dos quatro cantos do mundo

O que os preços do petróleo dizem sobre o conflito no Médio Oriente?

O que os preços do petróleo dizem sobre o conflito no Médio Oriente?

Corsair M75 Wireless: 29 gramas fazem a diferença?

Corsair M75 Wireless: 29 gramas fazem a diferença?

Exportações de vinho do Dão com ligeira redução em 2023

Exportações de vinho do Dão com ligeira redução em 2023

Mello, Espírito Santo e Champalimaud. O Estado Novo e as grandes fortunas

Mello, Espírito Santo e Champalimaud. O Estado Novo e as grandes fortunas

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

No tempo em que havia Censura

No tempo em que havia Censura

Amazon já ‘emprega’ 750 mil robôs. E tem menos 100 mil trabalhadores humanos

Amazon já ‘emprega’ 750 mil robôs. E tem menos 100 mil trabalhadores humanos

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1625

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1625

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

Recorde a vida do príncipe Louis no dia em que celebra o seu 6º aniversário

Recorde a vida do príncipe Louis no dia em que celebra o seu 6º aniversário

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

Baga Friends lançam-se no espumante

Baga Friends lançam-se no espumante

Famosos brilham na reabertura de loja de luxo em Cascais

Famosos brilham na reabertura de loja de luxo em Cascais

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites