Getty

Preocuparmo-nos com o ambiente, para além de todas as preocupações de ordem prática que temos de gerir no dia a dia, parece uma tarefa impossível. Habituámo-nos a ver a natureza como algo exterior a nós, que conseguimos dominar e estará sempre ali para nos servir. E, sobretudo, habituámo-nos a acreditar que tudo acabará por se resolver. Mas já passámos esse ponto, as soluções passam pelos governos e entidades governamentais de todo o mundo, mas também por nós. A verdade é que fazemos parte integrante do grande ecossistema que constitui o nosso ambiente e temos de (re)começar já a viver em harmonia com ele: não só pela sobrevivência das gerações futuras, mas também, como a pandemia e a guerra vieram demonstrar, pela nossa própria sobrevivência, aqui e agora.

Uma questão de inteligência

É como Helena Freitas, investigadora, professora catedrática de Ecologia e Biodiversidade e diretora do Parque de Serralves, define a preocupação ambiental. “Preocuparmo-nos com o ambiente é ter uma relação cúmplice com o planeta que habitamos e do qual dependemos. Somos parte da natureza e precisamos que ela continue a garantir a qualidade de vida que todos desejamos.” E até a própria possibilidade de sobrevivermos… “A natureza garante-nos um conjunto de bens e serviços que são indispensáveis à nossa sobrevivência, portanto, cuidar do planeta e do meio ambiente significa cuidarmos de nós, daqueles de quem gostamos e daqueles que hão de vir, por razões de saúde direta, de bem-estar, e também de sobrevivência coletiva. Cuidar do ambiente é a forma mais inteligente de vivermos porque é a forma de assegurar que temos uma vida com qualidade e conseguimos garantir esses bens e serviços que derivam dos ecossistemas e da sua integridade.” Entre esses bens e serviços que a natureza nos proporciona estão a disponibilidade de água e alimento, do ar que respiramos, da polinização que garante a saúde do sistema alimentar… tudo aquilo de que não podemos mesmo prescindir. Do ponto de vista material, mas não só.

A Natureza somos nós

“Somos uma entidade biológica e sentimos isso de uma forma muito clara com a pandemia, sentimos o impacto de uma disrupção dos sistemas, particularmente da floresta tropical, que trará cada vez mais desequilíbrios nesta relação entre agentes patogénicos e hospedeiros, o que significa que estaremos cada vez mais expostos a este tipo de eventos, designadamente vírus, bactérias, fungos, etc., que circulam na vida. E nós somos parte dela e percebemos agora essa nossa vulnerabilidade.”
Outra dimensão vital da natureza, que também se tornou clara durante o confinamento no início da pandemia, é o bem-estar emocional que nos proporciona, como explica Helena Freitas. “A dimensão criativa, estética e de lazer que a natureza tem também é uma questão relevante. Somos mais criativos quando temos maior proximidade com a natureza e a relação mais cúmplice que devemos ter com as outras formas de vida.”

Mais desenvolvimento económico e social

Helena Freitas acredita que, ao contrário do que ouvimos muitas vezes, a defesa ambiental não só é compatível com o desenvolvimento económico como é fundamental para resolver os problemas sociais. “Esse discurso do incompatível é aquele que nos conduziu aqui: o ‘não há outra solução, tem de ser assim’… E isso agora é tão visível. Veja-se a relação de dependência energética que construímos com a Rússia… evidentemente que isto foi um erro. Agora querem colocar a energia nuclear como solução, mesmo transitória, e conseguiram incluí-la na taxinomia verde, e o gás natural também. Porque nos dizem que é a única forma de produzir energia, quando já temos hoje, cada vez mais, tecnologia que nos permite fazer mais rapidamente a transição energética ecológica e essa tem de ser a aposta.”

A importância do sistema alimentar

“Ele está no centro das questões ambientais, é absolutamente estratégico e determinante. Todos queremos alimentos que não tenham químicos nem contaminantes, percebemos a importância daquilo que consumimos para o nosso bem-estar, a nossa saúde e a nossa esperança de vida, e percebemos que há alimentos que são preparados de uma forma que claramente põe isso em risco”, diz a especialista. “Os contextos de agricultura intensiva ou superintensiva são os mais agressivos do ponto de vista social e ambiental, porque são situações em que a produção é desligada do contexto. Nos últimos 70 anos, construímos um sistema alimentar completamente desligado do contexto territorial, das condições ambientais e sociais, da remuneração e do impacto ambiental que representa, simplesmente porque tanto faz onde [o alimento] é produzido. Eu nem lhe chamo agricultura, mas sistema alimentar porque é um sistema, perverso e construído de forma desligada do contexto, que não estima nem incorpora os verdadeiros custos sociais e ambientais. E nem sequer responde ao problema essencial da fome no mundo, pelo contrário, tem mil milhões de pessoas no hemisfério norte com problemas de saúde porque comem demais, e tem o dobro desses seres humanos que vivem no outro hemisfério e não têm acesso ao mais básico.”

A mudança não será fácil, terá custos e levará tempo, mas sairá bem mais cara se nada for feito. Helena Freitas acredita que o desígnio de uma civilização ecológica já impregnou a comunidade científica, o que levará a soluções cada vez mais acessíveis e que, embora haja muito por fazer, o caminho já está a ser feito. Mas o esforço terá de ser de todos, sem exceção, a começar pelos mais jovens, que herdarão o planeta que lhes deixarmos. “A forma como nos organizamos atualmente dispensa os jovens, o que é absurdo. Como queremos que sejam cúmplices ou responsáveis quando nem sequer são chamados a participar? Temos de nos organizar de outra forma e perceber a importância que tem este valor coletivo que queremos e que é inspirador da mudança, ele tem de chegar às novas gerações e às práticas educativas.”
As grandes decisões ambientais são políticas, mas nós como cidadãos e consumidores também temos algum poder. Quando votamos, quando optamos por usar energias limpas e renováveis, quando entramos na economia circular, quando compramos bens e serviços que respeitam as pessoas, os animais e a natureza, quando poupamos recursos, o poder da mudança está nas nossas mãos. “Nós existimos e somos uma entidade em relação: dentro de nós, com as outras formas de vida que coabitam connosco e no planeta também”, diz Helena Freitas. “Esse sentido da vulnerabilidade e da dependência da vida favorece um comportamento mais coletivo, mais amigo, mais disponível, mais cúmplice: essa é a primeira mensagem que uma civilização ecológica tem de inspirar.”

Os sinais são cada vez mais claros e não há outra escolha: o futuro tem de ser ecológico… ou não chegaremos lá.

Professora Helena Freitas

Doutorada em Ecologia pela Universidade de Coimbra, com um pós-doutoramento na Universidade de Stanford (EUA), Helena Freitas é uma das nossas maiores autoridades em ecologia e biodiversidade. Fundou a Sociedade Portuguesa de Ecologia, que presidiu, e foi Vice-Presidente da Sociedade Europeia de Ecologia.
É Professora Catedrática na área da Biodiversidade e Ecologia no Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, detentora da Cátedra Unesco em Biodiversidade e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável daquela Universidade, Coordenadora da unidade de investigação Centre for Functional Ecology – Sciencefor People and the Planet, que fundou, e Diretora do Parque de Serralves.
Está nomeada para o Prémio ACTIVA Mulheres Inspiradoras 2022, na categoria Sustentabilidade.

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Ricardo obriga Maria João a ficar mas ela “foge” de “Casados à Primeira Vista”

Ricardo obriga Maria João a ficar mas ela “foge” de “Casados à Primeira Vista”

Presta atenção! Já ouviste falar de contrafação?

Presta atenção! Já ouviste falar de contrafação?

Andy Lee, autor da coleção 'Não Abras Este Livro' responde a perguntas de fãs portugueses

Andy Lee, autor da coleção 'Não Abras Este Livro' responde a perguntas de fãs portugueses

Desfile de celebridades na apresentação da coleção Cruise da Dior

Desfile de celebridades na apresentação da coleção Cruise da Dior

Keto: os riscos (que podem ser graves) da dieta da moda

Keto: os riscos (que podem ser graves) da dieta da moda

Zona: Três mitos sobre esta doença que pode ser incapacitante

Zona: Três mitos sobre esta doença que pode ser incapacitante

Ronaldo compra participação na Vista Alegre e vai levar a marca para a Ásia

Ronaldo compra participação na Vista Alegre e vai levar a marca para a Ásia

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

VISÃO Se7e: 19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 – e torcer por Portugal

VISÃO Se7e: 19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 – e torcer por Portugal

Betano entra em campo com patrocínios do Euro 2024 e Copa América 2024

Betano entra em campo com patrocínios do Euro 2024 e Copa América 2024

Adoçante comum presente em pastilhas elásticas e até pastas dentífricas associado a duplicação do risco de AVC e enfarte

Adoçante comum presente em pastilhas elásticas e até pastas dentífricas associado a duplicação do risco de AVC e enfarte

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

A relação surpreendente entre o desempenho cognitivo das mulheres e a menstruação

A relação surpreendente entre o desempenho cognitivo das mulheres e a menstruação

Portugal esgota hoje os recursos deste ano e começa a usar os de 2025

Portugal esgota hoje os recursos deste ano e começa a usar os de 2025

Alexandra e Flávio de

Alexandra e Flávio de "Casados à Primeira Vista" juntos nos Santos Populares: "Viemos namorar"

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Manta Ray: Reveladas primeiras imagens do novo drone militar aquático dos EUA em ação

Manta Ray: Reveladas primeiras imagens do novo drone militar aquático dos EUA em ação

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

Withings Body Scan em teste: Esta balança faz um 'raio-x' ao corpo

Withings Body Scan em teste: Esta balança faz um 'raio-x' ao corpo

Kia EV9 GT-Line AWD em testes: A referência nos grandes SUV

Kia EV9 GT-Line AWD em testes: A referência nos grandes SUV

Georgina Rodríguez em Fátima com os filhos e CR7 no pensamento

Georgina Rodríguez em Fátima com os filhos e CR7 no pensamento

O regresso de “House of the Dragon”: Nesta guerra de homens primários, quem lidera são as mulheres

O regresso de “House of the Dragon”: Nesta guerra de homens primários, quem lidera são as mulheres

Novo estudo científico revela que o cérebro tenta prever o futuro enquanto se encontra em repouso

Novo estudo científico revela que o cérebro tenta prever o futuro enquanto se encontra em repouso

Restrições ao consumo de água no Algarve vão ser aliviadas

Restrições ao consumo de água no Algarve vão ser aliviadas

Os festivais de verão

Os festivais de verão

Kate assinala Dia do Pai com carinhosa foto de William com os filhos

Kate assinala Dia do Pai com carinhosa foto de William com os filhos

Exame 35 anos: venha discutir a Economia e celebrar o nosso aniversário

Exame 35 anos: venha discutir a Economia e celebrar o nosso aniversário

O futuro da banca é inteligente

O futuro da banca é inteligente

Comer em Lisboa: restaurante Kabuki

Comer em Lisboa: restaurante Kabuki

Navegando rumo ao futuro digital do oceano

Navegando rumo ao futuro digital do oceano

Sonos Ace em teste: Qualidade e conforto premium

Sonos Ace em teste: Qualidade e conforto premium

Casimiro de Brito - Entre o caos e o canto

Casimiro de Brito - Entre o caos e o canto

Alpine A290: elétrico, tecnológico… e endiabrado

Alpine A290: elétrico, tecnológico… e endiabrado

Inster será o 100% elétrico mais acessível da Hyundai

Inster será o 100% elétrico mais acessível da Hyundai

Moda: 20 cestas para usar no dia a dia

Moda: 20 cestas para usar no dia a dia

Apresentação da nova coleção de moda de praia

Apresentação da nova coleção de moda de praia

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

George, Charlotte e Louis, os protagonistas do Trooping the Colour

George, Charlotte e Louis, os protagonistas do Trooping the Colour

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Portugal faz bem: conheça a cerâmica de autor assinada pela Malga

Portugal faz bem: conheça a cerâmica de autor assinada pela Malga

Trooping the Colour marcado pelo regresso de Kate

Trooping the Colour marcado pelo regresso de Kate

"O Homem dos Teus Sonhos" - ou quando Nicholas Cage não nos sai da cabeça

Como ler um jornal

Como ler um jornal

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites