Foto: Getty

E se as bactérias e outra microbicharada do nosso organismo forem o caminho para a beleza, saúde e juventude da pele? 

Depois de anos a lutar contra os micróbios como inimigos causadores de doenças, a ciência está a descobrir que eles podem ser os melhores aliados da nossa saúde. A verdade é que o nosso corpo tem 100 vezes mais microrganismos do que células humanas: entre bactérias, fungos, vírus e outros, são uns bons triliões de seres microscópicos a viver sobre e dentro do nosso corpo. Ao seu conjunto chama-se microbiota (também vulgarmente chamado microbioma, embora este termo designe, na verdade, o património genético da microbiota).

Como todas as sociedades, também esta tem os bons e os maus da fita, e outros que em geral são pacíficos, mas às vezes, por força das circunstâncias, podem tornar-se nocivos. O segredo está em manter o equilíbrio entre as diferentes estirpes e populações: manter os bons felizes e em quantidade suficiente para que os mais não consigam ocupar demasiado território nem fazer das suas, e evitar que os neutros ‘se passem’ para o lado obscuro.
Isto é válido para a nossa saúde como um todo, não só a física como a mental, mas também para a saúde, conforto, beleza e juventude da nossa pele, como defende a dermatologista e investigadora americana Whitney Bowe (criadora da rotina skin cycling), no livro ‘Cuidar da pele de dentro para fora – O poder da flora intestinal na saúde da sua pele’ (Vogais).

A relação intestino-cérebro-pele

Para a Dra. Bowe, o caminho para uma pele radiosa começa com hábitos de vida que apoiam a relação entre o intestino (e os micróbios bons que aí habitam), o cérebro e a pele. “O mini-ecossistema que abarca o bioma humano inclui uma coleção diversa de microrganismos, na sua maioria bactérias, fungos e vírus. As bactérias que proliferam no nosso intestino são especialmente importantes – a sua função na saúde e fisiologia é tão essencial que podem afetar uma vasta gama de processos biológicos”, explica a dermatologista. “Elas têm um papel a desempenhar em tudo, desde a eficiência e velocidade do nosso metabolismo até ao risco de desenvolvermos diabetes e obesidade. Isto para não falar do seu potencial papel em relação ao nosso humor e às probabilidades de sofrermos de depressão, doenças autoimunes e demência.”
Esta ligação entres o microbioma e a saúde é um dos grandes temas atuais e é provável que já tenha ouvido falar dela. Mas há outra ligação, igualmente importante e ainda pouco divulgada: a que existe entre o cérebro e a pele. “O que se passa no seu intestino neste preciso momento está a determinar não só o desempenho e a resposta do seu cérebro aos sinais do corpo sobre o seu estado atual e as suas necessidades, mas também o que a sua pele ‘pensa’ e qual o seu desempenho”, diz a médica. “Sim a pele pode ‘pensar’ e ‘falar’ com o cérebro: é uma via de dois sentidos.”

É um pouco estranho quando pensamos nisso, mas existem na pele mais de um bilião de bactérias, criaturas vivas de cerca de mil espécies diferentes. Todas elas interferem na saúde e comportamento deste órgão que é o maior do corpo humano, desempenhando muitas vezes funções vitais, que a pele sozinha não conseguiria realizar e assegurar (nomeadamente de proteção contra agressões por agentes patogénicos vindos do exterior, por exemplo). O desequilíbrio deste ecossistema pode influenciar a aparência e luminosidade da tez e, na pior das hipóteses, dar origem a uma variedade de doenças de pele.

A nossa pele é aquilo que comemos

O que é verdade para todo o organismo é também verdade para o grande órgão que o envolve. Todas já tivemos a experiência de acordar com a pele meio inchada e avermelhada, depois de temos exagerado no jantar da véspera… Mas a influência da alimentação na pele é muito mais profunda. Por isso o programa de cuidado da pele preconizado por Whitney Bowe no seu livro envolve alguns ajustes alimentares.
“O regime alimentar determina, antes de mais, a qualidade e o aspeto da pele. Os alimentos fornecem informação a todas as células que fazem de si… aquilo que é”, diz a dermatologista. “Tudo o que come passa a fazer parte não só da sua composição interna celular, mas também do tecido exterior do seu corpo. De facto, não há modo mais direto de alterar a saúde da ecologia interior e exterior do seu organismo – o seu microbioma – do que introduzir alterações específicas nas suas escolhas dietéticas.”

A flora intestinal (conjunto de bactérias que vivem naturalmente no nosso intestino), desempenha várias funções, a começar pelo auxílio na digestão dos alimentos que ingerimos e absorção dos respetivos nutrientes. Mas não só: libertam enzimas e outras substâncias que o corpo não consegue produzir sozinho, como vitaminas do complexo B, ou neurotransmissores como a dopamina e a serotonina (para ter uma ideias: calcula-se que cerca de 90% da serotonina existente no corpo seja produzida não pelo cérebro, mas no intestino, com a colaboração da flora intestinal).
Os micróbios do intestino desempenham também um papel importante a nível do sistema hormonal e do metabolismo (podendo afetar a pele através de efeitos metabólicos em cascata). E, acima de tudo, os microrganismos intestinais ajudam a regular e a apoiar o nosso sistema imunitário, numa série de ações que afetam diretamente a saúde da pele. “Não só os micróbios intestinais formam uma barreira contra potenciais invasores (vírus, parasitas e bactérias nocivas) mas agem também como um gigantesco desintoxicante, ajudam o sistema imunitários a distinguir corretamente entre amigos e inimigos, e a evitar reações alérgicas perigosas ou respostas autoimunes.”

A dermatologista explica no seu livro que as bactérias do intestino podem, caso haja um desequilíbrio, desencadear problemas dermatológicos como acne, psoríase e eczema, e acelerar o envelhecimento da pele. “E o denominador comum aqui, é a inflamação. Quando é constante, a inflamação é um processo subjacente a todas as doenças crónicas e problemas de pele.” A saúde ecológica do intestino influencia tudo no nosso corpo, desde o metabolismo à saúde da pele, e quando equilibramos o intestino isso vê-se na pele.

Como equilibrar o ecossistema intestinal

Anos de luta antibiótica intensiva, quando se achava que o caminho para a saúde passava simplesmente por matar as bactérias más, deram origem não só às superbactérias que resistem a todos os tratamentos, como a um desequilíbrio do nosso microbioma: porque os antibióticos atacam tanto as bactérias más… como as boas. Atualmente começa a surgir outro tipo de abordagem, tanto nos tratamentos orais como tópicos, como explica a dermatologista. “Em vez de acabarmos com os maus da fita, começámos a aprender a cuidar dos bons e a aproveitá-los! Temos de aproveitar o exército microbiano que vive em nós e na nossa pele, e nos defende todos os dias. Fortalecer o hospedeiro, não matar o inimigo!”

Esta estratégia está a ser aplicada por muitos dermatologistas nos casos de acne e rosácea, mas o mesmo princípio é aplicável à pele saudável que quer simplesmente ficar mais bonita, jovem e luminosa.
“Quando fortalecemos os nossos guerreiros microbianos, damos-lhes poder para nos ajudarem a combater os inimigos que provocam distúrbios na pele”, explica a Dra. Bowe. Para ela, o cuidado e proteção da pele passa não só pelos cuidados tópicos adequados (de que fala detalhadamente no livro e que passam por evitar limpezas demasiado agressivas que destroem o microbioma da pele), mas também por um reset intestinal, eliminando alimentos que debilitam a flora do intestino e introduzindo na alimentação pró e prebióticos que a fortalecem. Os primeiros são culturas vivas e ativas, que ajudam a colonizar o intestino no melhor sentido da palavra, enquanto os segundos são ingredientes que funcionam como fertilizantes que promovem o crescimento dos microrganismos benéficos.

“Dito de um modo mais simples, os probióticos contêm os tipos bons e os prebióticos contêm o que os tipos bons gostam de comer para garantirem a sua própria sobrevivência e proliferação. Tanto uns como outros podem ajudar a alimentar não só as bactérias boas nos nossos intestinos, mas também aquelas que vivem na pele e contribuem para a sua saúde e funcionalidade”, explica a médica.

Um plano para mudar de pele em 3 semanas

Uma das vantagens do programa delineado por Whitney Bowe no seu livro é a sua facilidade, que não obriga a mudar a vida de pernas para o ar de um dia para o outro. Cada semana foca-se num objetivo e como pensamos ‘é só por uma semana’, não temos a tentação de desistir antes de começar. Ao fim de poucos dias, à medida que vamos vendo os resultados, apetece continuar, para os manter e intensificar. E os bons hábitos vão-se enraizando sem esforço…
Aqui fica um resumo do programa de reset que pode encontrar no livro da Dra. Bowe.

Semana 1

“Concentre-se nos seus intestinos”, fazendo alterações dietéticas destinadas a reforçar o microbioma e a lutar contra a inflamação.
Para começar (e não haver tentações) retire da despensa todos os hidratos de carbono, açúcares e alimentos embalados, que sejam processados e refinados: adoçantes artificiais e tudo o que os contenha, incluindo bebidas light e pastas de dentes; leite e gelados; gorduras processadas e óleos vegetais de sementes (milho, girassol, amendoim, soja).
Coma frutos e legumes inteiros; proteína animal e vegetal (leguminosas); ovos; gorduras saúdáveis (azeite, óleo de coco, óleo de abacate, frutos secos e respetivas manteigas; cereais com baixo índice glicémico, como os integrais; alimentos ricos em probióticos (iogurtes naturais, kefir, kimchi, couves fermentadas); alimentos ricos em prebióticos (chicória, alho, espargos, cebola, folhas de dente-de-leão, alho francês); beba ‘leites’ não lácteos, chá, vinho tinto, kombucha; se necessário para adoçar use adoçantes verdadeiros (xarope de ácer, mel, stevia) sem abusar; aposte nas ervas aromáticas, especiarias e condimentos. No livro encontra um plano alimentar tipo, e várias receitas.

Semana 2

“Concentre-se no seu cérebro”, para reforçar a ligação intestino-cérebro-pele.
A dermatologista recomenda que acrescente às mudanças alimentares estratégias de redução de stresse (ioga, respiração profunda, meditação); exercício físico, variando os níveis de intensidade e alternando treino cardio, musculação e alongamentos; e ainda estratégias para um sono mais reparador.

Semana 3

“Concentre-se na sua pele.”
Esta é a altura de começar a trabalhar também de fora para dentro, evitando tudo o que possa alterar o microbioma da pele. Retire da casa de banho os produtos demasiado abrasivos (luvas, esponjas, esfoliantes, loções com álcool). Pare de usar sabonetes antibacterianos e limite o uso e desinfetante das mãos às ocasiões em que não é mesmo possível lavá-las; privilegie os produtos ricos em antioxidantes; e use protetor solar diariamente.

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Letizia, Leonor e Sofia, três

Letizia, Leonor e Sofia, três "looks" bem distintos

Recanto para viver ao ar livre

Recanto para viver ao ar livre

Seis estratégias essenciais de Literacia Financeira Digital para proteger as finanças da sua família

Seis estratégias essenciais de Literacia Financeira Digital para proteger as finanças da sua família

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Reciclagem de embalagens: pode brincar-se com temas sérios?

Reciclagem de embalagens: pode brincar-se com temas sérios?

Play Store: Google prepara-se para nova ‘limpeza’ e vai encerrar apps que não cumpram requisitos mínimos

Play Store: Google prepara-se para nova ‘limpeza’ e vai encerrar apps que não cumpram requisitos mínimos

Duches de exterior: a única 'chuva' permitida durante o verão

Duches de exterior: a única 'chuva' permitida durante o verão

Mariana de “Casados à Primeira Vista” celebra 25 anos: 25 fotografias que mostram toda a sua beleza

Mariana de “Casados à Primeira Vista” celebra 25 anos: 25 fotografias que mostram toda a sua beleza

10 animais que resistem ao calor

10 animais que resistem ao calor

VISÃO Se7e: Os livros certos para as férias de verão

VISÃO Se7e: Os livros certos para as férias de verão

Huawei Band 9 em teste: Controlar a saúde  com apenas 14 gramas

Huawei Band 9 em teste: Controlar a saúde com apenas 14 gramas

Quis Saber Quem Sou: Será que

Quis Saber Quem Sou: Será que "ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?"

Helena Isabel deixa de ser comentadora: “Não sei se volto à TVI”

Helena Isabel deixa de ser comentadora: “Não sei se volto à TVI”

Pequeno satélite português já está no Espaço

Pequeno satélite português já está no Espaço

VISÃO Júnior de junho de 2024

VISÃO Júnior de junho de 2024

Homem do Leme: Artifícios

Homem do Leme: Artifícios

Conheça os vencedores da 2ª edição do 5G Challenge

Conheça os vencedores da 2ª edição do 5G Challenge

Alberto e Charlene na etapa da Volta a França no Mónaco

Alberto e Charlene na etapa da Volta a França no Mónaco

Rover Curiosity descobre cristais de enxofre puro em Marte

Rover Curiosity descobre cristais de enxofre puro em Marte

'Táxi' voador movido a hidrogénio percorre mais de 800 quilómetros em voo de teste

'Táxi' voador movido a hidrogénio percorre mais de 800 quilómetros em voo de teste

Salgueiro Maia, o herói a contragosto

Salgueiro Maia, o herói a contragosto

Afinal Élson e Mariana não se casaram - Saiba o motivo

Afinal Élson e Mariana não se casaram - Saiba o motivo

Eduardo antes de ser Lourenço

Eduardo antes de ser Lourenço

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

Tribunal de Santarém condena três brasileiros com ligações às redes de tráfico de drogas do

Tribunal de Santarém condena três brasileiros com ligações às redes de tráfico de drogas do "Escobar brasileiro" e do PCC

O caminho para o inferno está cheio de paletas de artistas!

O caminho para o inferno está cheio de paletas de artistas!

TCL 50 5G em teste: Um smartphone prático e com um preço 'amigável'

TCL 50 5G em teste: Um smartphone prático e com um preço 'amigável'

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por "jumpsuits"

Aproveite a vida ao ar livre: piqueniques

Aproveite a vida ao ar livre: piqueniques

As subidas dos preços das casas explicadas em cinco gráficos

As subidas dos preços das casas explicadas em cinco gráficos

O vestido preto com que Letizia nunca se compromete

O vestido preto com que Letizia nunca se compromete

As férias luxuosas da família de Cristiano Ronaldo na Arábia Saudita

As férias luxuosas da família de Cristiano Ronaldo na Arábia Saudita

Batalha do Vimeiro: Mergulhar na história das invasões francesas na Lourinhã

Batalha do Vimeiro: Mergulhar na história das invasões francesas na Lourinhã

Tribunal chumbou providência cautelar da Câmara de Montalegre que tentava travar mina de lítio

Tribunal chumbou providência cautelar da Câmara de Montalegre que tentava travar mina de lítio

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Portugal e a Lei de Restauro da Natureza

Portugal e a Lei de Restauro da Natureza

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por "jumpsuits"

Consistência, técnica e muito sabor no novo menu do Kabuki

Consistência, técnica e muito sabor no novo menu do Kabuki

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Zunder, a aplicação para carregar o carro por toda a Europa, chega a Portugal

Zunder, a aplicação para carregar o carro por toda a Europa, chega a Portugal

ChatGPT chega a todos os Peugeot equipados com comandos de voz

ChatGPT chega a todos os Peugeot equipados com comandos de voz

As diferenças entre sexo e género no cérebro das crianças, segundo um novo estudo

As diferenças entre sexo e género no cérebro das crianças, segundo um novo estudo

Medicamentos com semaglutido, como o Ozempic, que se popularizou para a perda de peso, associados a novo efeito secundário grave

Medicamentos com semaglutido, como o Ozempic, que se popularizou para a perda de peso, associados a novo efeito secundário grave

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites