@martabevacqua

O Dia Mundial da Saúde Mental é comemorado no dia 10 de outubro desde 1992. Todos os anos, a Federação Mundial para a Saúde Mental (WFMH), em articulação com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas (ONU), escolhe um tema. A intenção da lembrança é colocar temas da saúde mental nas agendas dos governos, para além de centrar a atenção pública na Saúde Mental global, como uma causa comum a todos os povos, para além dos limites nacionais, culturais, políticos ou socioeconómicos. Combater o preconceito, o estigma e a exclusão de pessoas com experiência de doença mental e seus familiares/cuidadores informais é outro dos objetivos deste dia.

O tema escolhido para o ano de 2021 vem precisamente na senda da sua priorização na agenda dos organismos públicos e privados a nível global – “Saúde Mental num Mundo Desigual”. Este tema, escolhido para 2021, destacará que o acesso aos serviços de saúde mental continua desigual, com cerca de 75% a 95% das pessoas com transtornos mentais em países de menos desenvolvidos incapazes de ter acesso a serviços de saúde mental, e o acesso em países desenvolvidos não é muito melhor. A falta de investimento em saúde mental é desproporcional ao orçamento geral dos ministérios da saúde, o que contribui para o aumento ainda mais fraturante do tratamento e intervenção na saúde mental.

Antes da pandemia SARS-COV-2 COVID-19, a Saúde Mental era já desvalorizada pela maioria dos governos a nível global – muitas vezes apelidada de “parente pobre da Saúde”. No entanto, apresentava-se já como a doença do sec. XXI, isto se acrescentarmos, de igual modo, as doenças neurodegenerativas como o Alzheimer ou Parkinson. Segundo relatórios da OMS, 30% das pessoas em todo o mundo apresentavam, em dado ano, um problema de saúde mental. Segundo o Livro Verde, documento oficial da União Europeia, 23% dos europeus apresentavam problemas de saúde mental em dado ano (cerca de 80,9 milhões de europeus num universo de 300 milhões). Das 10 principais causas de incapacidade, 5 eram já – antes da pandemia SARS-COV-2 COVID-19 -, causas relacionadas com perturbações psiquiátricas e/ou psicológicas. Eram já a segunda maior causa de incapacidade nos países desenvolvidos, a maior causa de baixas no trabalho e de reformas antecipadas. A depressão e o stress já matam mais pessoas que os acidentes de viação e o VIH/SIDA, sendo a depressão a maior causa de morbilidade nos países desenvolvidos.

Se acrescentarmos, agora, as consequências da pandemia COVID-19 a nível global, temos um problema ainda mais sério atualmente, um problema que precisa urgentemente de medidas e de um maior investimento para concretizar as respostas que são mais eficazes e necessárias. Esta pandemia veio colocar em foco algo que há muito as evidências cientificas já vinham alertando – os contextos económicos, sociais e culturais têm um impacto enorme na saúde mental das pessoas. Assim como, a falta de investimento na saúde mental tem consequências muito graves nas pessoas e, de igual modo, nas próprias economias e sociedades ditas modernas.

A incerteza profissional, o desemprego, problemas acrescidos na prestação de cuidados básicos (como por exemplo, na alimentação, educação, habitação/rendas, etc…), os problemas conjugais e familiares acrescidos, o ambiente familiar tenso e pouco equilibrado, a dificuldade no acesso a muitos serviços da sociedade, a incerteza relativamente à solução para esta situação pandémica de saúde, está relacionada com o aumento e o exacerbamento de problemas de saúde mental, situações de stress tóxico e sofrimento psicológico agudo e crónico.

Atualmente é possível comparar o impacto e a carga social em termos de custos diretos e indiretos que várias especialidades da saúde têm nas sociedades e o que constatamos é que a doença mental surge sempre ou em primeiro ou em segundo lugar com uma carga global de cerca de 10 a 15%. Ora, apesar de reconhecer o esforço que tem sido feito nesta área por parte dos organismos competentes na área da Saúde, não é difícil perceber que o financiamento e o investimento da Saúde deveriam ser muito maiores na Saúde Mental do nosso país (cerca de 4% atualmente).

Com a pandemia sanitária, surgiu uma verdadeira pandemia na saúde, em particular na saúde mental, independentemente da nossa cor, religião, etnia, classe socioeconómica, ou até das idades. Na Saúde Mental portuguesa basta referir as conclusões do estudo do Instituto Nacional Ricardo Jorge em que 7 em cada 10 portugueses experienciaram problemas de saúde mental – de moderada a grave – com a pandemia. Ora, Portugal já apresentava a segunda pior taxa de prevalência de doença mental grave na europa e a quarta no mundo inteiro antes da pandemia, não é difícil, portanto, extrair conclusões evidentes do cenário que enfrentamos atualmente.

Nós temos um Plano Nacional para a Saúde Mental (PNSM), e um Diretor, que é sobejamente reconhecido por todas as entidades internacionais competentes e aceite pelos agentes determinantes competentes a nível nacional, como nunca antes. É um excelente plano, pleno de respeito pela dignidade, direitos, garantias e liberdades destas pessoas que, pela sua condição de saúde, se encontram em situação de desvantagem social a vários níveis – p.ex.: acesso ao emprego, habitação, justiça, reabilitação, reinserção a nível familiar, entre muitos outros.

Por fim, além da rapidez na implementação do Plano de Resiliência e Recuperação (PRR) – onde a Saúde Mental surge como segunda prioridade no nosso país – e de um incremento no investimento do desenvolvimento do PNSM, precisamos de uma coordenação nacional ou estrutura de missão que tenha uma clara autonomia de implementação. Precisamos de uma Coordenação “sem amarras” para implementar as reformas necessárias que terão o seu reflexo na saúde e na economia dos portugueses de forma significativa.

Não há Saúde, sem Saúde Mental! Não há Economia, sem Saúde! Por esta razão, urge que se “pule e avance” a toda a velocidade para adereçar o problema que mais pessoas afeta no século XXI de forma a podermos agir rapidamente, tal como o tema escolhido para este ano assim sintomatiza, contra a “Saúde Mental num Mundo (cada vez mais) Desigual”.

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Cristiano Ronaldo é o atleta mais bem pago do mundo segundo a Forbes

Cristiano Ronaldo é o atleta mais bem pago do mundo segundo a Forbes

Ana Cristina Silva - Pensar como o Marquês de Pombal

Ana Cristina Silva - Pensar como o Marquês de Pombal

Hipertensão arterial: procedimento

Hipertensão arterial: procedimento "minimamente invasivo" melhora significativamente a qualidade de vida dos doentes

As elegantes escolhas de Mary da Dinamarca na visita à Noruega

As elegantes escolhas de Mary da Dinamarca na visita à Noruega

Comer fora: 14 mesas de exterior

Comer fora: 14 mesas de exterior

14 ideias para fazer no Dia Internacional e Noite dos Museus

14 ideias para fazer no Dia Internacional e Noite dos Museus

"A Minha Família Afegã": Um filme de animação que nos traz histórias reais de universos distantes

Fátima Lopes celebra 55 anos em biquíni no mar

Fátima Lopes celebra 55 anos em biquíni no mar

OMS atualiza lista de bactérias que ameaçam saúde humana por resistirem aos antibióticos

OMS atualiza lista de bactérias que ameaçam saúde humana por resistirem aos antibióticos

Tâmara Castelo: divulgadas novas fotos do seu casamento

Tâmara Castelo: divulgadas novas fotos do seu casamento

Famosos reagem à morte de Manuel Alves

Famosos reagem à morte de Manuel Alves

Sindicato da PSP diz que proposta do MAI

Sindicato da PSP diz que proposta do MAI "contém valores desadequados"

"Verão muito mais quente do que o normal", segundo modelo que combina 8 sistemas de previsão meteorológica

Pedro Cabrita Reis, 50 anos depois. Uma exposição para mergulhar no caos criativo do artista

Pedro Cabrita Reis, 50 anos depois. Uma exposição para mergulhar no caos criativo do artista

Quartos: 5 novas camas para boas noites de sono

Quartos: 5 novas camas para boas noites de sono

Muito sal pode aumentar em mais de 40% a probabilidade de desenvolver cancro do estômago

Muito sal pode aumentar em mais de 40% a probabilidade de desenvolver cancro do estômago

Humor e irreverência em iluminação

Humor e irreverência em iluminação

Há mar e mar, há ser e há proclamar

Há mar e mar, há ser e há proclamar

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Famosas atentas a cuidados de beleza

Famosas atentas a cuidados de beleza

Inês Aguiar e Gyökeres posam juntos pela primeira vez

Inês Aguiar e Gyökeres posam juntos pela primeira vez

WASP-193 b: Este planeta tem uma estrutura

WASP-193 b: Este planeta tem uma estrutura "fofa" e parece algodão doce

Planeta continuou a aquecer em abril apesar da diminuição do El Niño

Planeta continuou a aquecer em abril apesar da diminuição do El Niño

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

EDP Renováveis conclui venda de projeto eólico no Canadá

Tesla volta aos cortes e avança com nova ronda de despedimentos

Tesla volta aos cortes e avança com nova ronda de despedimentos

O poder da empatia na liderança e gestão de talento

O poder da empatia na liderança e gestão de talento

Flashbacks e outras visões de futuro no novo projeto do agrupamento Sete Lágrimas

Flashbacks e outras visões de futuro no novo projeto do agrupamento Sete Lágrimas

Salgueiro Maia, o herói a contragosto

Salgueiro Maia, o herói a contragosto

Catarina Miranda levada em braços após expulsão do “Big Brother”

Catarina Miranda levada em braços após expulsão do “Big Brother”

O fracasso da AIMA, a frustração dos imigrantes e a inércia do Governo

O fracasso da AIMA, a frustração dos imigrantes e a inércia do Governo

“Ainda existe um problema de auto confiança das mulheres no mundo do trabalho”

“Ainda existe um problema de auto confiança das mulheres no mundo do trabalho”

NÃO ME MAGOAS MAIS

NÃO ME MAGOAS MAIS

Morreu o estilista Manuel Alves

Morreu o estilista Manuel Alves

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

Irmãos americanos presos: roubaram 25 milhões de dólares em criptomoedas em 12 segundos

Irmãos americanos presos: roubaram 25 milhões de dólares em criptomoedas em 12 segundos

Tesla continua a dominar vendas de elétricos em Portugal

Tesla continua a dominar vendas de elétricos em Portugal

VOLT Live: O estudo que prova que os 100% elétricos são a opção mais económica para as empresas

VOLT Live: O estudo que prova que os 100% elétricos são a opção mais económica para as empresas

Quis Saber Quem Sou: Será que

Quis Saber Quem Sou: Será que "ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?"

Peugeot melhora condições de garantia para todos os 100% elétricos

Peugeot melhora condições de garantia para todos os 100% elétricos

Jl 1399

Jl 1399

Vencedores do passatempo 'IF - Amigos Imaginários'

Vencedores do passatempo 'IF - Amigos Imaginários'

Alberto do Mónaco agraciado por Emmanuel Macron

Alberto do Mónaco agraciado por Emmanuel Macron

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

ONDE A MAGIA ACONTECE

ONDE A MAGIA ACONTECE

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites