Foto Pexels/Norma Mortenson

O livro tornou-se um clássico assim que foi publicado: ‘Todos devemos ser feministas’ é um desafio lançado a homens e mulheres pela nigeriana Chimamanda Adichie, já nessa altura um modelo do ‘novo feminismo’. Recentemente, por ocasião do nascimento da filha de uma amiga, Adichie reuniu no Facebook uma espécie de lista de ‘mandamentos’ para pais que gostavam de educar um filho ou filha feminista.

Entre os 25 mandamentos estão coisas como “ensina-lhe o perigo de ‘feminismo light’: ou se é feminista ou não se é. Não se é um bocadinho feminista’, ‘Ensina-a a ler e a amar os livros’, ‘Ensina-a a questionar a linguagem, que é o repositório dos nossos preconceitos e crenças. Mas para fazer isso, vais ter tu própria de questionar a tua linguagem.”

Outras sugestões úteis para a mãe da nova bebé foram: “Ensina-a a rejeitar a ideia de que tem de agradar a toda a gente”, “torna a diferença uma ideia normal”, “fala-lhe de opressão, mas cuidado para não transformar todos os oprimidos em santos”, “ensina-a a questionar o uso da biologia para explicar diferenças culturais.” Vale a pena ler todo o ‘manifesto’, até como um ponto de partida para quem queira educar os filhos para um mundo mais justo.  

Educar para a igualdade

‘Duas mulheres ao comando da GNR em Moncorvo causam estranheza na população’: foi esta notícia que inspirou Joana Frias Costa a pensar que tinha mesmo de fazer alguma coisa. “Achei aquilo tão absurdo!”, conta. “Duas mulheres causam estranheza por serem GNR? E é este país que queremos deixar aos nossos filhos?” Daí partiu para criar a Inspiring Girls, uma associação sem fins lucrativos que luta para mudar estereótipos e incentivar as raparigas a serem tudo o que quiserem, levando às escolas de todo o país mulheres de várias áreas que falam do seu trabalho. Mas a família, diz Joana, tem um papel fundamental nesta mudança.

Como é que pomos isto em prática no dia a dia? Como é que eu educo o meu filho a respeitar os outros? Há mesmo muito a fazer. Em primeiro lugar, o exemplo é fundamental. “Não conseguimos educar para a igualdade se é sempre a mãe a levar os miúdos ao médico e a fazer tudo em casa.” Com uma filha de 4 anos e um filho de 2, Joana ainda está a iniciar o desafio da parentalidade, mas já se confrontou com situações inadmissíveis. “Por exemplo: o meu filho foi duas vezes seguidas ao médico com o pai, e quando eu marquei a terceira consulta a recepcionista chamou-me a atenção: “Já é a terceira vez que a mãe não vem…” E nunca ouviríamos isto ao contrário: se uma criança fosse duas vezes ao médico com a mãe, nunca ligariam ao pai a dizer ‘Olhe, veja lá…’ No trabalho, quando é preciso faltar e é o pai que fica com a criança, toda a gente pergunta: ‘Então e a mãe?’ Mas ninguém pergunta à mãe que falta para ficar com o filho: ‘Então a criança não tem pai?’”

Azul e cor de rosa

Quando se tenta educar para a igualdade, nem os brinquedos são inocentes, como Joana Costa comprovou. “Quando tive um rapaz, disse à família: ‘A irmã já tem um Nenuco, quem pode oferecer um ao irmão?’ e toda a gente ficou chocada. Ora eu quero que ele no futuro seja um bom pai. Se a irmã tem uma bola e uma boneca, porque é que ele não há-de ter as mesmas coisas?”

A cor preferida da filha é o azul, mas já começou a vir para casa a dizer ‘azul é cor de menino’. “Isto é o que ouvem na escola e noutros contextos fora da família, é um caminho que nós todos temos que percorrer.” Aceitamos já que as raparigas joguem futebol, mas quantos pais portugueses põem os filhos no ballet? “Tal qual. E por exemplo, no infantário dos meus filhos eu nunca lá vi um homem, e quantos homens gostam de crianças? Mas nunca imaginamos um rapaz a chegar a casa e dizer ‘quero ser educador’.”

Os estereótipos afetam quer os rapazes quer as raparigas. No seu futuro profissional, as mulheres são mais mal pagas e sub-representadas, mas na área emocional os rapazes podem sair muito lesionados. “Esta pressão para não poderem explorar as suas emoções é dramática”, nota Joana Costa. “Por isso é que às vezes há tanta violência nos adolescentes: não sabem modular as suas emoções, dar nomes às coisas, saber o que estão a sentir, trabalhar a sua raiva, tudo isto é complexo. E a pressão dos pares é muito dura. Algumas famílias já estão a esforçar-se neste sentido, mas nem todas o fazem. A masculinidade tóxica vai afetar tanto rapazes como raparigas e criar rapazes feministas passa muito por esta questão de educar para as emoções, verbalizar os sentimentos, valorizar a inteligência emocional, ser gentil para todos, conhecer os seus limites.”

Com o esforço de tantas famílias, as coisas vão começar a mudar? “Acho que sim”, defende Joana Costa. “O último relatório da ONU sobre o tempo que levaríamos a atingir a igualdade é assustador – quase 300 anos – por isso é urgente debater estes temas e forçar este número indigno a baixar. Para o conseguir, é fundamental o esforçode todos, homens e mulheres, rapazes e raparigas.”

Contra os estereótipos

Problema: continuamos a remar contra a maré. “O que nós continuamos a ver, inclusivamente na televisão, são exemplos da ideia de que tudo se resolve com confrontos, pancada, violência.”

No caso das raparigas, ser feminista também passa por encorajá-las a sonhar fora da caixa cultural. “O que nós reparámos é que para as raparigas há muita falta de referências em muitas áreas profissionais”, conta Joana Costa. “Por exemplo, saberem que já há submarinistas mulheres, comentadoras de futebol… Há raparigas que gostariam de ter estas profissões mas sempre acharam que eram ‘de homens’…”

O foco da Inspiring Girls é portanto quebrar estereótipos sexistas e contribuir para aumentar a ambição profissional das jovens raparigas, colocando-as em contacto com mulheres que funcionam como exemplos daquilo que elas podem ser, e que lhes dão uma diversidade de percursos pessoais e profissionais. “Hoje, as profissões mais bem pagas continuam sub-representadas por mulheres. Tecnologias, informáticas, engenharias, só para dar alguns exemplos, são áreas abertas às mulheres mas as raparigas não estão nada interessadas, na maioria das vezes simplesmente porque nunca pensaram sobre isso nem têm modelos familiares nessas áreas.”

Também é fundamental para os rapazes perceberem como os estereótipos funcionam: “Numa das nossas sessões em escolas, uma nossa voluntária contou que tinha saído de um trabalho porque os homens ganhavam mais que ela e ela achava isso inaceitável”, lembra Joana. “E um dos rapazes comentou que concordava com a diferença salarial, porque as mulheres eram menos produtivas devido ao período e às licenças de maternidade. As raparigas explicaram-lhe rapidamente que não eram menos por terem menstruação. Portanto, é importante discutir estes assuntos com eles, e é superimportante os rapazes verem CEOs femininas.” Pois – para depois não acharem estranho ver mulheres GNR em Moncorvo… (risos)

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

Será que vamos bater o 12º recorde de temperatura mensal seguido?

Será que vamos bater o 12º recorde de temperatura mensal seguido?

Veja aqui as melhores imagens da conferência

Veja aqui as melhores imagens da conferência "Empresas: Nascer & Crescer 2024"

Desfile de celebridades na apresentação da coleção Cruise da Dior

Desfile de celebridades na apresentação da coleção Cruise da Dior

iOS 18: Que novidades chegam ao sistema operativo do iPhone?

iOS 18: Que novidades chegam ao sistema operativo do iPhone?

Requintado jantar assinala inauguração da nova exposição de Joana Vasconcelos na Boutique Dior, em Lisboa

Requintado jantar assinala inauguração da nova exposição de Joana Vasconcelos na Boutique Dior, em Lisboa

Regresso de Kate à vida pública depois do diagnóstico de cancro, num estilo

Regresso de Kate à vida pública depois do diagnóstico de cancro, num estilo "navy"

Núria Madruga diverte-se com os filhos no

Núria Madruga diverte-se com os filhos no "Green Fest"

Aproveite a vida ao ar livre

Aproveite a vida ao ar livre

A Tape não está (definitivamente) morta!

A Tape não está (definitivamente) morta!

"O que é verdadeiramente desafiante é as marcas saberem o que leva as pessoas às lojas e o que funciona online". Leah Johns em entrevista

Os festivais de verão

Os festivais de verão

Elisabete revela que não podia

Elisabete revela que não podia "dizer que não" no casamento com Francisco

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Num dos próximos quatro anos, o planeta deverá mesmo exceder 1,5ºC de aumento de temperatura

Num dos próximos quatro anos, o planeta deverá mesmo exceder 1,5ºC de aumento de temperatura

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

O futuro da banca é inteligente

O futuro da banca é inteligente

Estivemos no Azores Eco Rallye

Estivemos no Azores Eco Rallye

Como ler um jornal

Como ler um jornal

Vídeo: Vê aqui o espetáculo de 'Miúdos a Votos' 2024

Vídeo: Vê aqui o espetáculo de 'Miúdos a Votos' 2024

Explosão de cor e alegria nas Marchas Populares

Explosão de cor e alegria nas Marchas Populares

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

Kia EV9 GT-Line AWD em testes: A referência nos grandes SUV

Kia EV9 GT-Line AWD em testes: A referência nos grandes SUV

Manta Ray: Reveladas primeiras imagens do novo drone militar aquático dos EUA em ação

Manta Ray: Reveladas primeiras imagens do novo drone militar aquático dos EUA em ação

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

Aromas de verão para a casa

Aromas de verão para a casa

Inster será o 100% elétrico mais acessível da Hyundai

Inster será o 100% elétrico mais acessível da Hyundai

Dior apresenta coleção Cruise Collection 2025

Dior apresenta coleção Cruise Collection 2025

25 peças para receber a primavera em casa

25 peças para receber a primavera em casa

Jl 1401

Jl 1401

Novo estudo científico revela que o cérebro tenta prever o futuro enquanto se encontra em repouso

Novo estudo científico revela que o cérebro tenta prever o futuro enquanto se encontra em repouso

Vídeo: A festa final de 'Miúdos a Votos' na Gulbenkian

Vídeo: A festa final de 'Miúdos a Votos' na Gulbenkian

VISÃO Se7e: 19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 – e torcer por Portugal

VISÃO Se7e: 19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 – e torcer por Portugal

Light Phone III é um telemóvel simples, minimalista e tem ecrã a preto e branco

Light Phone III é um telemóvel simples, minimalista e tem ecrã a preto e branco

Quis Saber Quem Sou: Será que

Quis Saber Quem Sou: Será que "ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?"

A receita do bolo que Cristina Ferreira fez para o namorado - E o hábito que o tira do sério!

A receita do bolo que Cristina Ferreira fez para o namorado - E o hábito que o tira do sério!

O regresso de “House of the Dragon”: Nesta guerra de homens primários, quem lidera são as mulheres

O regresso de “House of the Dragon”: Nesta guerra de homens primários, quem lidera são as mulheres

20 anos depois, o que há de novo no Rock in Rio Lisboa

20 anos depois, o que há de novo no Rock in Rio Lisboa

Alexandra e Flávio de

Alexandra e Flávio de "Casados à Primeira Vista" juntos nos Santos Populares: "Viemos namorar"

Os Lugares desta História: Corunha, O mestre de Andeiro e o que não nos contaram

Os Lugares desta História: Corunha, O mestre de Andeiro e o que não nos contaram

Explosão solar 'acende' auroras impressionantes em Marte

Explosão solar 'acende' auroras impressionantes em Marte

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Exame 35 anos: venha discutir a Economia e celebrar o nosso aniversário

Exame 35 anos: venha discutir a Economia e celebrar o nosso aniversário

A relação surpreendente entre o desempenho cognitivo das mulheres e a menstruação

A relação surpreendente entre o desempenho cognitivo das mulheres e a menstruação

Contracetivo masculino em gel com bons resultados nos ensaios clínicos

Contracetivo masculino em gel com bons resultados nos ensaios clínicos

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites