João Lima

Quando se é mãe ou pai, abre-se uma porta no nosso coração que nos leva a um carrossel de emoções, de felicidade, deslumbramento, amor incondicional, encantamento, algumas arrelias e… muitas preocupações, muitas mais se esse filho nasce com deficiência. Há uma pergunta que está constantemente na cabeça desses pais, que é: o que será dele quando eu não estiver por cá?
O apoio familiar é fundamental, e para muitos a solução ainda é institucionalizar, mas nem sempre tem de ser assim. É aqui que entra Joana Santiago, 58 anos, diretora do projeto de inclusão social Semear, que tem como objetivo formar e promover a empregabilidade de jovens e adultos com dificuldade intelectual e do desenvolvimento. “A deficiência é um mundo, há pessoas com deficiências profundas e outras com deficiências muito ligeiras, por isso há que separar as coisas e pôr as pessoas nos sítios certos. Faz sentido institucionalizar pessoas que precisam de estar num ambiente protegido, que têm de ter cuidadores permanentemente, mas há uma grande parte dessa população que pode ser autónoma e contribuir para o desenvolvimento do país.” O envolvimento de Joana nesta área deu-se há 23 anos, quando o seu terceiro filho nasceu com deficiência. “Se eu, que era enfermeira e tinha melhores condições que muita gente, me sentia um pouco perdida, fará aquelas famílias que pouco ou nada têm, nem sabem onde pedir ajuda nem que direitos têm.” Foi por isso que logo em 2005 Joana e outros pais se juntaram para fundar o BIPP (Banco de Informação de Pais para Pais), um banco de dados cujo objetivo era dar informação a quem precisasse sobre os recursos existentes no nosso país para as pessoas com deficiência e suas famílias. Mais tarde, em 2009, foi criada uma plataforma online que continha recursos em várias áreas, da educação à saúde, passando pelo setor jurídico e social, ao qual todos os pais com filhos com deficiência pudessem aceder e clarificar dúvidas. Mas rapidamente Joana se apercebeu de que era preciso muito mais, “era necessário algo mais ‘mão na massa’, prático, algo que tornasse este público mais participativo na sociedade, e há tantos com tantas competências que não há direito eles estarem a viver num ciclo de pobreza e miséria”.

Promover a autonomia
Segundo Joana, cerca de 10% da população portuguesa tem algum nível de deficiência física ou intelectual, “são números gigantes, mas porque é que uma pessoa, cujo único problema é ter dificuldade em subir uma escada, não pode ter uma vida contributiva, autónoma e feliz? O desemprego desta população anda à volta dos 70%, o que é elevadíssimo, por isso nós pais quisemos criar algo que os ajudasse a integrar o mercado de trabalho, que pudesse melhorar não só a vida deles como a dos pais.” Foi assim que fundou o Semear em 2014, um projeto de inclusão social para jovens e adultos dos 18 aos 45 anos, que não só dá a esta população uma formação teórica, competências técnicas para trabalharem, mas também competências sociais, “algumas têm de aprender a andar nos transportes públicos, a usar o dinheiro, a serem autónomas na rua, a cuidarem de si próprias… e tudo isso é ensinado aqui de forma a serem o mais autónomas possível”.

“A formação é sobretudo no setor agroalimentar, que inclui áreas como agricultura, restauração e transformação.”

Acabar com mitos e preconceitos
A formação teórico-prática é feita por módulos ao longo de praticamente 3 anos, “mas nós acompanhamo-los cerca de 5-6 anos, já depois de integrarem o mercado de trabalho, isto porque é do nosso interesse que as empresas retenham o posto de trabalho e não que façam apenas um estágio. Temos técnicos que servem de interlocutores e que apoiam as empresas para que isto seja um sucesso, e esse acompanhamento pode durar anos. O ano passado saiu uma lei que obriga as empresas a empregar um número de pessoas com deficiência, é verdade que não gosto muito de cotas, mas concordo que estas não só abrem o tema à discussão, o que é muito importante, mas também, assim, cria-se uma experiência partilhada. As pessoas não nascem ensinadas, temos de aprender, eu também não sabia nada de deficiência até o meu filho nascer. É muito importante acabar com os mitos e preconceitos sobre a deficiência e nada melhor que a demonstração da capacidade destas pessoas e do convívio com elas. E é muito gratificante perceber que as pessoas, quando têm contacto com pessoas com deficiência, mudam o seu mindset.”

“As pessoas com deficiência têm tantas competências que não há direito elas estarem a viver num ciclo de pobreza e miséria.”

Todos temos um talento
Por enquanto estão a formar no setor agroalimentar “porque estas pessoas com dificuldade intelectual e do desenvolvimento têm de ter profissões compatíveis com a sua capacidade cognitiva, portanto, tudo o que sejam tarefas repetitivas, monótonas, elas conseguem fazê-las”. E este setor tem várias áreas muito abrangentes, que vão da agricultura, restauração, comércio, transformação… Para tornar o Semear menos dependente de subsídios e mais sustentável, criaram dois negócios sociais: Semear na Terra, que se dedica à produção agrícola biológica numa horta de 12 hectares com várias culturas e que se situa num terreno no concelho de Oeiras, no Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária; e o Semear Mercearia, que se foca na confeção, transformação e venda de produtos gourmet caseiros, como compotas, chutneys, temperos, biscoitos. Os produtos agrícolas biológicos certificados que plantam na horta são depois vendidos a restaurantes, “mas também no grupo Auchan e brevemente no El Corte Inglés. Já para fazer os produtos que vendemos na Mercearia online vamos apanhar o excedente aos agricultores da zona e transformamo-lo em produtos gourmet que vendemos na nossa loja. E são produtos deliciosos e muito interessantes, pois cada embalagem conta um bocadinho da sua história, ou seja, a participação dos nossos jovens. Imagine que um doce de tomate tem um 4 no rótulo, isso quer dizer que eles participaram em todas as fases do produto – apanha, preparação, rotulagem e armazenamento. Ainda não somos autossuficientes, mas 50% dos nossos custos são oriundos das receitas dos nossos negócios sociais, o que é muito bom para uma organização do setor social”. Para breve está um terceiro negócio social, a cerâmica, “uma arte muito portuguesa, e nós queremos que sejam peças bem feitas e bonitas, o que não vai ser difícil, estas pessoas têm imensa criatividade, só temos de lhes dar as ferramentas técnicas para o fazerem bem. Sou apologista do ‘comprem porque é bom e bonito, não comprem porque têm pena’. No fundo, procuramos é descobrir qual é o talento deles e formá-los nessa área para arranjarem trabalho e serem autónomos, minimizar as dificuldades e maximizar os talentos. Há pessoas que têm imenso jeito para a área agrícola, outras para a restauração, outras para trabalhar na cozinha, e nós vamos à procura do que eles mais gostam de fazer e da sua vocação”. Joana já não é enfermeira, deixou a profissão ao fim de 30 anos para se dedicar de corpo e alma à direção do projeto Semear, que “funciona lindamente porque tenho uma equipa superprofissional de 37 pessoas, e onze delas com deficiência”.

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

O lado lunar da inovação, enfrentando as sombras

O lado lunar da inovação, enfrentando as sombras

Sónia e Daniel em conflito nos bastidores de “Casados à Primeira Vista”

Sónia e Daniel em conflito nos bastidores de “Casados à Primeira Vista”

Há mar e mar, há ser e há proclamar

Há mar e mar, há ser e há proclamar

Será que vamos bater o 12º recorde de temperatura mensal seguido?

Será que vamos bater o 12º recorde de temperatura mensal seguido?

Perturbações mentais

Perturbações mentais "contagiosas" nas redes sociais da vida real? Sim e o ato de procurar ajuda também

Os novos retratos oficiais de Mette-Marit e Haakon da Noruega

Os novos retratos oficiais de Mette-Marit e Haakon da Noruega

Como ler um jornal

Como ler um jornal

Cupra Born VZ: 0 aos 100 km/h em 5,6 segundos

Cupra Born VZ: 0 aos 100 km/h em 5,6 segundos

Quis Saber Quem Sou: Será que

Quis Saber Quem Sou: Será que "ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?"

Está quase a chegar a festa final de 'Miúdos a Votos!'

Está quase a chegar a festa final de 'Miúdos a Votos!'

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

Paris Hilton de férias no Hawai com os filhos

Paris Hilton de férias no Hawai com os filhos

A reação dos filhos de Inês de “Casados à Primeira Vista” à visita de Paulo

A reação dos filhos de Inês de “Casados à Primeira Vista” à visita de Paulo

25 peças para receber a primavera em casa

25 peças para receber a primavera em casa

Miúdos a Votos: A primeira arruada dos políticos do futuro

Miúdos a Votos: A primeira arruada dos políticos do futuro

Descubra 15 assentos topo de gama

Descubra 15 assentos topo de gama

Recebeu um e-mail ou SMS a dizer que tem uma multa de estacionamento por pagar? É (mais uma) fraude

Recebeu um e-mail ou SMS a dizer que tem uma multa de estacionamento por pagar? É (mais uma) fraude

Naomi Campbell celebra 54 anos

Naomi Campbell celebra 54 anos

OMS atualiza lista de bactérias que ameaçam saúde humana por resistirem aos antibióticos

OMS atualiza lista de bactérias que ameaçam saúde humana por resistirem aos antibióticos

Sky Magnetar: avião a hidrogénio quer ligar Londres a Nova Iorque em 90 minutos

Sky Magnetar: avião a hidrogénio quer ligar Londres a Nova Iorque em 90 minutos

Miúdos a Votos: a grande festa dos livros mais fixes já começou!

Miúdos a Votos: a grande festa dos livros mais fixes já começou!

O estilo das Grimaldi no GP de Fórmula 1 do Mónaco

O estilo das Grimaldi no GP de Fórmula 1 do Mónaco

Beatrice Borromeo e Pierre Casiraghi, os príncipes de Cannes

Beatrice Borromeo e Pierre Casiraghi, os príncipes de Cannes

O plano ambicioso da Revolut para Portugal

O plano ambicioso da Revolut para Portugal

Pedro Cabrita Reis: Há 50 anos a criar no caos do atelier

Pedro Cabrita Reis: Há 50 anos a criar no caos do atelier

Vídeo: Os melhores momentos da III Conferência Girl Talk

Vídeo: Os melhores momentos da III Conferência Girl Talk

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Romantismo na passadeira vermelha de Cannes

Romantismo na passadeira vermelha de Cannes

Investigadores criam smartwatch capaz de analisar o suor

Investigadores criam smartwatch capaz de analisar o suor

Tarifário da água no Algarve abaixo da média nacional é erro crasso -- ex-presidente da APA

Tarifário da água no Algarve abaixo da média nacional é erro crasso -- ex-presidente da APA

Novo Dacia Spring já pode ser encomendado em Portugal

Novo Dacia Spring já pode ser encomendado em Portugal

Energia para Mudar: a descida dos preços dos carros elétricos e dos carregamentos

Energia para Mudar: a descida dos preços dos carros elétricos e dos carregamentos

BCE está pronto para baixar juros na próxima semana

BCE está pronto para baixar juros na próxima semana

A VISÃO Se7e desta semana – edição 1630

A VISÃO Se7e desta semana – edição 1630

Receita de Empanadas argentinas, por Fabiana Pragier

Receita de Empanadas argentinas, por Fabiana Pragier

Revolut vai lançar depósitos a prazo em Portugal: “As taxas de juros oferecidas pelos bancos são muito baixas”

Revolut vai lançar depósitos a prazo em Portugal: “As taxas de juros oferecidas pelos bancos são muito baixas”

Um oásis no exterior da sua casa: mobiliário e dicas para desfrutar melhor da vida ao ar livre

Um oásis no exterior da sua casa: mobiliário e dicas para desfrutar melhor da vida ao ar livre

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

A primeira imagem de Paulo com os filhos de Inês de “Casados à Primeira Vista”

A primeira imagem de Paulo com os filhos de Inês de “Casados à Primeira Vista”

Receita de Empanadas argentinas, por Fabiana Pragier

Receita de Empanadas argentinas, por Fabiana Pragier

Sweet Soul, em Leça da Palmeira: O rigor da pastelaria

Sweet Soul, em Leça da Palmeira: O rigor da pastelaria

Casimiro de Brito - Entre o caos e o canto

Casimiro de Brito - Entre o caos e o canto

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Cientistas identificam proteínas que podem ser sinal de desenvolvimento de cancro sete anos antes do diagnóstico

Cientistas identificam proteínas que podem ser sinal de desenvolvimento de cancro sete anos antes do diagnóstico

Comer fora: 14 mesas de exterior

Comer fora: 14 mesas de exterior

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites