O mundo ficou em choque com a notícia de que Bruce Willis, de 67 anos, ia abandonar a carreira de representação por sofrer de afasia. Apesar da repercurssão internacional do sucedido a um dos atores mais populares de sempre do Cinema, quase nada se sabe sobre esta condição. Por exemplo, sabia que todos os anos surgem 8 mil novos casos de afasia derivados do AVC em Portugal? No nosso país, por hora, três portugueses sofrem um AVC dos quais sobrevivem 2 terços (dados da SPAVC). Metade dos sobreviventes de um AVC poderão ficar com afasia para toda a vida. Mas afinal, o que é a afasia, que impede de forma tão dramática a qualidade de vida da pessoa afetada, nomeadamente a nível das relações com familiares e amigos? Foi sobre tema que conversámos com Joana Prata, Terapeuta da fala no Instituto Português da Afasia.

O que é a afasia? Deriva invariavelmente de um AVC ou há outras causas?  

Em primeiro lugar, é importante clarificar que a AFASIA NÃO É UMA DOENÇA, mas sim uma consequência da lesão cerebral. A Afasia consiste numa perturbação da comunicação decorrente de uma lesão cerebral, que compromete as modalidades da linguagem. Assim a pessoa pode ficar com dificuldades em se expressar quando fala, em compreender a fala dos outros e/ou em ler e escrever. Estas dificuldades normalmente afetam a participação e a qualidade de vida da pessoa com afasia e dos seus familiares. O AVC é a principal causa da afasia. No entanto, a afasia também pode ter outras causas, como: tumores cerebrais, traumatismos cranioencfálicos (TCE), infeções, doenças degenerativas ou outras lesões cerebrais. Nos casos em que a afasia surge devido a uma doença degenerativa estamos perante OUTRO tipo de afasia, a afasia Progressiva Primária (APP). De acordo com as notícias que têm saído sobre o Bruce Willis, presume-se que esta poderá ter sido a causa da sua afasia, e por isso, apresentar uma afasia progressiva primária. 

Como se manifesta e qual a evolução?  

A afasia tem um impacto brutal na vida da pessoa, assim como na vida dos seus familiares. É como se a pessoa, de um dia para o outro “acordasse num país diferente, onde não tem domínio da língua”. A pessoa sabe o que quer dizer, mas pode ficar com dificuldades no seu dia a dia, em coisas como: fazer um pedido num restaurante, em compreender um pedido/pergunta de alguém, em compreender o jornal, em escrever uma mensagem no telemóvel… basicamente, pode ficar com dificuldade em todas as atividades da sua vida que envolvam a comunicação (que são quase todas). Além destas dificuldades, a lesão cerebral pode também provocar outros défices cognitivos, como dificuldades de memória, concentração, atenção, cálculo e, ainda, depressão, ansiedade e outros problemas psicológicos. Por outro lado, os familiares/ cuidadores podem também apresentar emoções menos positivas como o stress e ansiedade ou até mesmo depressão. Ninguém está preparado para lidar com uma mudança tão grande de vida, que afeta tanto a pessoa com afasia como o seus familiares, amigos ou até cuidadores. Após uma lesão cerebral, a maioria dos problemas de comunicação melhora. No entanto, é difícil prever quais as evoluções e o tempo que podem demorar. Algumas melhorias ocorrem espontaneamente, no entanto a reabilitação é maior com a ajuda do terapeuta da fala. No caso da Afasia Progressiva primária, decorrente de uma doença degenerativa, não podemos falar de melhorias, mas sim de retardar a progressão dos sintomas, uma vez que as doenças degenerativas evoluem e agravam ao longo do tempo. 

Como é realizado o diagnóstico?  

O diagnóstico de afasia é feito por um terapeuta da fala com o objetivo de avaliar as suas capacidades linguísticas e de comunicação, assim como o impacto que esta tem na sua vida diária e na vida das pessoas que a rodeiam. A avaliação por profissionais da psicologia e neuropsicologia é imprescindível, uma vez que a lesão cerebral pode provocar outros défices cognitivos e emocionais, além da afasia.  

De que forma afeta a atividade profissional dos doentes? E a sua vida pessoal?  

A afasia afeta, na maioria das vezes, o regresso ao trabalho/ às atividades profissionais, sobretudo em funções em que as competências de linguagem e comunicação sejam fundamentais para o seu desempenho. No entanto, pessoas com afasia menos graves poderão ser capazes de voltar a trabalhar. Tudo isto depende de muitos fatores, que nem sempre estão relacionados com a pessoa com afasia, mas sim com a falta de oportunidades. Outras poderão ter de mudar de emprego ou de função que tinham previamente. Infelizmente, em Portugal, ainda há um longo caminho a percorrer neste sentido, no sentido de criar mais oportunidades de inclusão às pessoas com afasia, quer em atividades laborais, quer em atividades de lazer e da comunidade. Falando agora da sua vida pessoal, a afasia tem um impacto brutal na vida pessoal e social das pessoas, na medida em que estas deixam de participar, da mesma forma, numa conversa e nas suas atividades diárias. Os seus papéis e relacionamentos sociais podem ficar comprometidos e esta condição pode levar ao isolamento social, solidão e perda da autonomia. 

Há diferentes graus de afasia?  

A afasia manifesta-se de diferentes formas, com sintomas e níveis de gravidade variados. Contudo, ocorrem padrões gerais de défices de comunicação, frequentemente associados a certos subtipos de afasia. Em termos gerais podemos considerar a existência de afasias fluentes, afasias não fluentes e a afasia progressiva primária.

As restantes capacidades cognitivas (ou o que de forma mais comum se designa por ‘inteligência’) ficam afetadas igualmente? 

Não. A afasia não afeta a inteligência da pessoa. A lesão cerebral pode afetar, como referido anteriormente, outros défices cognitivos, como a memória, a atenção, a velocidade de processamento da informação, o cálculo…. No entanto, os conhecimentos da pessoa com afasia estão preservados. As dificuldades de acesso ao léxico, às palavras, e de comunicação é que mascaram a inteligência das pessoas com afasia, mas as ideias e os pensamentos da pessoa estão intactos. O que se verifica é uma dificuldade em os exteriorizar.

Quais os tratamentos disponíveis para doentes com afasia? 

Não existe um tratamento “standarizado” que possa ser aplicado a todas as pessoas com afasia. Existem diferentes tipos de abordagens terapêuticas que ajudam no processo de recuperação, mas que devem ser ajustadas, de acordo com as características e necessidades da pessoa com afasia e dos seus familiares, e ainda de acordo com a fase da própria recuperação. A terapia da fala, a psicologia, a neuropsicologia e a terapia em grupo são terapias que podem fazer a diferença.

É verdade que a música pode ter um papel importante a nível terapêutico? 

Sim. A música permite a ativação de várias áreas cerebrais e ajuda a criar “novos caminhos neuronais”, quando estamos a fazer ritmos e a cantar, que ajudam a criar caminhos alternativos para que a comunicação aconteça. 

É possível levar uma vida relativamente normal com este problema? 

A afasia é uma condição crónica, que veio para ficar. A pessoa com afasia, assim como a sua família, devem desde início ser acompanhados por uma equipa especializada, que os ajude a aprender a lidar com todas as consequências que a afasia pode provocar. É possível ter uma vida “relativamente normal”, ou seja, uma vida com o menor impacto significativo no seu bem-estar e permitir às pessoas com afasia uma vida ativa, autónoma e social. As terapias devem apoiar e acompanhar a pessoa com afasia e a sua família sempre nesse sentido.

De que forma os familiares do doente podem contribuir para ajudar o doente com afasia? 

Os familiares têm um papel muito importante no processo de reabilitação da pessoa com afasia. Por um lado, para que a pessoa com afasia se sinta apoiada e que não está sozinha no processo. Por outro lado, porque o envolvimento dos familiares na terapia ajuda a que eles próprios entendam melhor as características da afasia do seu familiar e as suas consequências e, por isso, a compreender melhor a sua situação, bem como, a aprender estratégias de comunicação que facilitem as conversas com o seu familiar com afasia.  

Mais no portal

Mais Notícias

Animais que nos fazem rir!

Animais que nos fazem rir!

'Táxi' voador movido a hidrogénio percorre mais de 800 quilómetros em voo de teste

'Táxi' voador movido a hidrogénio percorre mais de 800 quilómetros em voo de teste

Letizia, Leonor e Sofia, três

Letizia, Leonor e Sofia, três "looks" bem distintos

Pequeno satélite português já está no Espaço

Pequeno satélite português já está no Espaço

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

Eduardo antes de ser Lourenço

Eduardo antes de ser Lourenço

As diferenças entre sexo e género no cérebro das crianças, segundo um novo estudo

As diferenças entre sexo e género no cérebro das crianças, segundo um novo estudo

Amazon: Prime Day 2024 agita mercado nacional

Amazon: Prime Day 2024 agita mercado nacional

10 animais que resistem ao calor

10 animais que resistem ao calor

Tribunal chumbou providência cautelar da Câmara de Montalegre que tentava travar mina de lítio

Tribunal chumbou providência cautelar da Câmara de Montalegre que tentava travar mina de lítio

Família real da Bélgica reunida para celebrar o Dia Nacional do seu país

Família real da Bélgica reunida para celebrar o Dia Nacional do seu país

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Em São Paulo, uma casa com ambientes luminosos e integrados

Em São Paulo, uma casa com ambientes luminosos e integrados

Férias com a Covid-19 na bagagem: As ondas, os picos e o que aí vem

Férias com a Covid-19 na bagagem: As ondas, os picos e o que aí vem

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por

Princesa Charlene do Mónaco, uma apaixonada por "jumpsuits"

Guia de essenciais de viagem para a sua pele

Guia de essenciais de viagem para a sua pele

Lições: Aprender a escrever com Miguel Esteves Cardoso

Lições: Aprender a escrever com Miguel Esteves Cardoso

VISÃO Se7e: Os livros certos para as férias de verão

VISÃO Se7e: Os livros certos para as férias de verão

Depois dos Magnum, Unilever diz adeus às pessoas

Depois dos Magnum, Unilever diz adeus às pessoas

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Uma sala a céu aberto

Uma sala a céu aberto

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

Conheça os vencedores da 2ª edição do 5G Challenge

Conheça os vencedores da 2ª edição do 5G Challenge

Na primeira pessoa:

Na primeira pessoa: "Os carteiristas consideram-nos um perigo e já tivemos alguns a ameaçar-nos com facadas e com pedras"

Portugal e a Lei de Restauro da Natureza

Portugal e a Lei de Restauro da Natureza

Rover Curiosity descobre cristais de enxofre puro em Marte

Rover Curiosity descobre cristais de enxofre puro em Marte

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Huawei Band 9 em teste: Controlar a saúde  com apenas 14 gramas

Huawei Band 9 em teste: Controlar a saúde com apenas 14 gramas

Cacau diz a Tiago que Marquinho é seu filho:

Cacau diz a Tiago que Marquinho é seu filho: "Agora somos uma família"

O visual roqueiro de Vanessa Oliveira no NOS Alive

O visual roqueiro de Vanessa Oliveira no NOS Alive

Seis estratégias essenciais de Literacia Financeira Digital para proteger as finanças da sua família

Seis estratégias essenciais de Literacia Financeira Digital para proteger as finanças da sua família

VOLT Live: Musk chegou a Portugal de jato privado, mas nós voámos de elétrico

VOLT Live: Musk chegou a Portugal de jato privado, mas nós voámos de elétrico

Fausto - O último dos puros

Fausto - O último dos puros

Equipa do Técnico conquista segundo lugar em competição  de barcos elétricos

Equipa do Técnico conquista segundo lugar em competição de barcos elétricos

Todas as imagens do casamento de Isabela Valadeiro e Carlos Ferra no Alentejo

Todas as imagens do casamento de Isabela Valadeiro e Carlos Ferra no Alentejo

Recanto para viver ao ar livre

Recanto para viver ao ar livre

Famosos divertem-se no fim-de-semana no NOS Alive

Famosos divertem-se no fim-de-semana no NOS Alive

Renovar os votos na Cevicheria, uma década depois

Renovar os votos na Cevicheria, uma década depois

Isabela Valadeiro e Carlos Ferra: casamento no Alentejo

Isabela Valadeiro e Carlos Ferra: casamento no Alentejo

Helena Isabel deixa de ser comentadora: “Não sei se volto à TVI”

Helena Isabel deixa de ser comentadora: “Não sei se volto à TVI”

Como as alterações climáticas estão a mexer com o tempo (mas não com o tempo em que está a pensar)

Como as alterações climáticas estão a mexer com o tempo (mas não com o tempo em que está a pensar)

Em

Em "A Mulher no Lago", Natalie Portman estreia-se nas séries

Sebastião da Gama - Carne e espírito na Arrábida

Sebastião da Gama - Carne e espírito na Arrábida

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites